Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Jovens exercem conhecimento em Matemática durante feira em escola na Zona Leste de Manaus

Devido ao alto índice de violência na escola tempos atrás, a instituição virou escola militar. Cerca de quatro mil pessoas já visitaram os expositores apresentados pelos dois mil alunos

O conhecimento em números e cálculos aprendidos em sala de aula por aproximadamente de dois mil alunos da Escola Estadual Áurea Pinheiro Braga, no bairro Cidade do Leste (Grande Vitória), Zona Leste da capital, foi exposto na Feira de Matemática, evento que acontece quinta (15) e sexta-feira (16).

Cerca de quatro mil pessoas, entre pais e moradores da comunidade, visitaram os expositores apresentados por estudantes dos níveis Fundamental e Médio. Segundo organizadores, a iniciativa pretende incentivar os alunos tanto em aprender o conteúdo programático quanto servir de transformação social, já que a maioria sofre com estereótipos referentes a violência.

A escola fica na avenida Iraque, s/nº, bairro Cidade do Leste (Grande Vitória). Durante a manhã, de 7h às 12h, ocorreu o primeiro dia de feira, e na sexta a programação acontece de 13h às 17h, com entrada livre e gratuita. Banners, maquetes, teorias e ilustrações são expostas aos visitantes, que poderão constatar a desenvoltura dos alunos.

“O que se noticia nos meios de comunicação de Manaus são coisas ruins dos jovens da Zona Leste, e hoje tivemos oportunidade de ver os jovens empolgados com o conhecimento na escola”, disse Paulo Nascimento, 41, pai e membro da Associação de Pais e Mestres. Devido ao alto índice de violência na escola tempos atrás, a instituição virou escola militar.

O diretor da Áurea Braga é o tenente coronel Guedes e foi dele a ideia de realizar a Feira de Matemática. Também na manhã desta sexta (16), professores e alunos da escola vão participar de uma caminhada pela principal rua do bairro, a rua Iraque, em protesto contra o abuso sexual de crianças e adolescentes.