Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Para Justiça, greve dos rodoviários foi ilegal e sindicato deve pagar multa de R$ 50 mil

A paralisação prejudicou o cotidiano de mais de 350 mil pessoas nas Zonas Leste, Oeste e Norte de Manaus. Caso persistam na greve, a multa será de R$ 400 mil por dia


Rodoviários paralisam as atividades nas empresas Global e São Pedro.

Rodoviários paralisaram as atividades nas empresas Global e São Pedro (Luiz Vasconcelos)

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) considerou ilegal e abusiva a greve deflagrada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário (STTRAM), na terça-feira (15). O pedido de ilegalidade foi feito pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), após a greve realizada nas empresas São Pedro e Global Green que prejudicou mais de 350 mil pessoas das Zonas Norte, Leste e Oeste de Manaus.

No documento, o desembargador do trabalho, David Alves de Melo, determinou que os grevistas retornassem aos trabalhos imediatament, e aplicou uma multa de R$ 50 mil, pela paralisação ocorrida na terça-feira. Caso o movimento grevista persista, será aplicada uma multa diária de R$ 400 mil.

Ainda no documento, o desembargador determina que os responsáveis pela paralisação mantenham uma distância mínima de 50 metros das garagens, sobre o clima de desobediência e aplicação de multa de R$ 100 mil. De acordo a assessoria jurídica do Sinetram, essa foi a sétima paralisação realizada apenas este ano em Manaus.

“As empresas estão fazendo de tudo para quitar seus débitos com os funcionários, porque é direito deles. Mas entendemos que a população não pode ser surpreendida com essas paralisações. É um absurdo os sindicalistas pararem dois mil trabalhadores por causa do atraso do FGTS (Fundo de Garantia sobre o Tempo de Serviço) de 55 funcionários demitidos, que poderia ser resolvido através do diálogo. Vamos continuar trabalhando para o bem estar dos colaboradores e dos usuários”, destacou o advogado do órgão, Fernando Borges.

Pagamento do FGTS

Durante reunião realizada na tarde desta terça-feira (15), no Ministério Público do Trabalho (MPT), que contou com a participação de representantes da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Procuradoria Geral do Município (PGM) e o Sindicato dos Rodoviários.

As partes chegaram a um acordo de que os 55 funcionários da Global Green, que foram demitidos e que estavam com o pagamento do FGTS atrasado, irão receber da seguinte forma: 35 funcionários receberão o valor integral da parcela no próximo dia 22 de julho e os outros 20, até o dia 22 de agosto.

Caso a empresa não efetue o pagamento, em um prazo máximo de 48h o Sinetram arcará com a despesa, o valor é de aproximadamente R$ 110 mil.