Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Justiça libera paralisação dos rodoviários em Manaus

Decisão do desembargador David Alves de Mello reconhece direito à greve, marcada para a próxima segunda-feira (10), mas determina que 70% da frota esteja circulando nos horários de pico

Greve dos rodoviários suspensa após reunião do sindicato com o Ministério do Trabalho

Greve dos rodoviários suspensa após reunião do sindicato com o Ministério do Trabalho (Luiz Vasconcelos)

A Justiça do Trabalho reconheceu o direito à greve dos rodoviários, com ressalvas, após o pedido de liminar do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), tentando barrar a greve do sistema rodoviário, marcada para a próxima segunda-feira (10).

O presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 11ª Região, desembargador David Alves de Mello Júnior, que julgou a ação, determinou que pelo menos 70% da frota permaneça em circulação durante os horários de pico (de 6h às 9h e de 17h às 20h), com 30% nos restantes, para minimizar os prejuízos à população. Os rodoviários também estão proibidos de fechar as garagens das empresas e de promover a chamada “Catraca Livre”, admitindo passageiros gratuitamente nos veículos.

Em caso de descumprimento dessas determinações, o Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário em Manaus (STTRM) pode ser multado em até R$ 50 mil por hora de infração.

A greve foi acertada pelo Sindicato dos Rodoviários como forma de reivindicar direitos trabalhistas para a categoria, como mudanças no plano de saúde, que passaria a abranger mais um dependente, a remuneração por horas extras no lugar do banco de horas, e a retirada de uma financeira que atua na empresa Líder, que estaria cobrando juros excessivos dos trabalhadores.

Sinetram contesta

A assessoria de imprensa do Sinetram informou que ingressou com o pedido de liminar por entender que as reivindicações dos trabalhadores não justificam a paralisação. Segundo o órgão, essas exigências deveriam ser levadas ao Sinetram e submetidas à discussão, uma vez que a convenção coletiva entre funcionários e empresas vence no dia 30 de abril, e só depois dessa data é que podem ser feitas mudanças no regime de trabalho dos rodoviários.

O Sinetram também classificou a manifestação marcada para a próxima segunda como “politiqueira”, e acusou-a de penalizar a população injustamente.

O Portal A CRÍTICA tentou entrar em contato com Givancir Oliveira, presidente do STTRM, mas não obteve resposta. Em nota, a entidade informou que a paralisação começa às 4h da manhã.


Amazônia Manauara MOOV

Eleições 2012 Voce Reporter
Denuncia