Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Justiça concede liberdade a motorista que atropelou e matou duas pessoas em Manaus

Renato Benigno conseguiu habeas corpus e responderá em liberdade por duplo homicídio qualificado, tentativa de triplo homicídio qualificado e embriaguez ao volante. Ele matou duas pessoas e feriu três em acidente

Na delegacia, Renato confessou que estava dirigindo sob efeito de bebidas alcoólicas e em alta velocidade. Ele alegou que, quando viu as vítimas, não conseguiu parar

Mesmo livre, Renato não poderá dirigir veículo, sair da cidade de Manaus e nem frequentar bares e casas de jogos (Winnetou Almeida)

O Tribunal de Justiça do Amazonas concedeu um alvará de soltura para Renato Fabiano dos Santos Benigno, motorista acusado de matar duas pessoas e ferir mais três durante atropelamento na avenida Coronel Teixeira, bairro Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, em maio deste ano. A liberdade foi concedida pela desembargadora Encarnação das Graças Sampaio Salgado.

Renato responderá em liberdade pelos crimes de duplo homicídio qualificado, tentativa de triplo homicídio qualificado e embriaguez ao volante. O alvará de soltura foi concedido após a desembargadora Encarnação aceitar habeas corpus requerido pelos advogados de defesa. Antes de ser solto, Renato estava preso em cela reservada no Batalhão da Polícia Militar do Amazonas.

Livre nas ruas, Renato poderá trabalhar e estudar, mas está impedido de dirigir veículo automotor, sair da cidade de Manaus e frequentar bares e casas de jogos. Ele deverá ficar em casa durante período noturno e nos finais de semana e feriados e também comparecer na Justiça mensalmente. Se descumprir tais exigências, poderá voltar a ser preso preventivamente.

Benigno havia conseguido benefício para prisão no Batalhão da PM porque, segundo advogados, estava sendo ameaçado de morte no Centro de Detenção Provisória de Manaus, presídio no Km 8 da BR 174. Sem previsão de data, o julgamento de Renato poderá ocorrer no 1º Tribunal de Júri da Capital, tornando-o a segunda pessoa no Amazonas a ir a júri popular por um crime relacionado ao trânsito.

Acidente

Em 12 de maio deste ano, Renato estava voltando de uma casa de forró, na área do bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus, e dirigia a picape modelo S-10, de placas OAK-2643, que está registrada em nome da irmã dele, a advogada Maria Auxiliadora dos Santos Benigno. Segundo o Instituto de Criminalística da Polícia Civil, Renato dirigia a 130 Km/h aproximadamente.

Durante condução do veículo na avenida Coronel Teixeira, bairro Ponta Negra, Zona Oeste, Benigno perdeu direção e bateu na traseira de uma picape modelo Strada que estava sendo empurrada por duas pessoas: Henrique Monteiro Galvão, 18, e Keyllene Moreira de Almeida, 28, que tiveram os corpos esmagados e morreram na hora.

Além disso, Renato deixou feridos Jhony Lemos Rodrigues, 24, Rodrigo de Oliveira Barroso, 16, e Wesley Silva, 17. Ainda conforme o I.C., Benigno estaria embriagado no momento do acidente, o que ainda não foi comprovado. Na época, ele tinha 129 pontos na Carteira Nacional de Habilitação, infrações relacionadas, em maioria, a excesso de velocidade ou manobra perigosa, ou direção descuidada e insegura.