Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Justiça manda soltar motorista que matou um e feriu dois ao dirigir embriagado em Manaus

A juíza Luiza Cristina N. da Costa Marques concedeu alvará de soltura a Gerard Philippe do Carmo Ribeiro e Silva, 21, que em alta velocidade atropelou pessoas que estavam em parada de ônibus na avenida Djalma Batista

Gerard atropelou e matou na noite de segunda-feira (30)

Gerard atropelou e matou na noite de segunda-feira (30) (Winnetou Almeida)

Gerard Philippe do Carmo Ribeiro e Silva, 21, que matou uma pessoa e feriu duas enquanto dirigia embriagado e em alta velocidade na última segunda-feira (30), em Manaus, foi liberado pela Justiça do Amazonas através de concessão de alvará de soltura. A liberdade dele foi deferida pela juíza Luiza Cristina N. da Costa Marques.

A decisão da juíza Luiza é contrária ao posicionamento da Polícia Civil do Amazonas, que através do delegado George Gomes, titular do 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), pediu prisão preventiva de Gerard, bem como contra o posicionamento do Ministério Público do Amazonas, que por meio do promotor de Justiça Marco Aurélio Lisciotto, concordou com a prisão.

Gerard foi preso em flagrante por homicídio culposo e lesão corporal gravíssima, e 24 horas depois da prisão recebeu a liberdade. Ele estava entre 80 e 90 Km/h quando perdeu controle do veículo que dirigia e atingiu pessoas na calçada em frente ao shopping Manaus Plaza, na avenida Djalma Batista, Chapada, Zona Centro-Sul.

No local funciona uma parada de ônibus com grande concentração de pessoas, e onde estavam o taxista José Ailton Rebouças, 64, que morreu na hora, e outros dois que ficaram feridos e foram hospitalizados: Adria Batista Xavier, 25, e o mototaxista Artur Sérgio Castro Mourão, 47, que teve a perna amputada. A suspeita de que Gerard estaria fazendo um racha antes do acidente não foi confirmada.

Após o acidente, Gerard foi levado para fazer teste de alcoolemia no Detran-AM, onde foi registrado 0,16 miligramas por litro de álcool no sangue, acima do permitido. Além disso, ele estava com Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida por infração de direção perigosa registrada ano passado e, dentro do carro, foi encontrada uma porção de maconha.

No documento de alvará de soltura, a juíza menciona que Gerard não deve obstruir, dificultar ou mesmo criar qualquer embaraço na colheita de provas no processo, nem que cause abalo à ordem pública ou, ainda, que o mesmo não tente fugir da cidade ou do País. A juíza também exigiu que Gerard informe a Justiça mensalmente sobre as próprias atividades, e o proibiu de ingerir bebida alcoólica e frequentar bares e boates.

Perigo no volante

Outro caso recente de morte no trânsito em Manaus foi o que vitimou fatalmente Henrique Monteiro Galvão, 18, e Keyllene Moreira de Almeida, 28, que tiveram os corpos esmagados e morreram na hora, e feriu Jhony Lemos Rodrigues, 24, Rodrigo de Oliveira Barroso, 16, e Wesley Silva, 17. Todos foram atropelados por Renato Fabiano dos Santos Benigno no dia 12 de maio na avenida Coronel Teixeira, Zona Oeste.

Renato foi acusado por duplo homicídio qualificado, tentativa de triplo homicídio qualificado e embriaguez ao volante, e segue preso de forma preventiva no Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDP). Os advogados pediram a transferência dele para um batalhão de guarda da Polícia Militar alegando ameaças ao réu, mas o pedido foi negado pelo Ministério Público do Amazonas.