Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Limpeza e arborização do Centro de Manaus continua intensa

Sem os camelôs nas calçadas, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade começa a tratar 184 árvores que estavam escondidas por trás das bancas e lonas

Das árvores tratadas nesta quarta-feira (26), quatro tiveram que ser derrubadas por serem da espécie picos, considerada inadequada pelo paisagismo moderno; elas serão substituidas por oitis e paus-pretinhos

Das árvores tratadas nesta quarta-feira (26), quatro tiveram que ser derrubadas por serem da espécie picos, considerada inadequada pelo paisagismo moderno; elas serão substituidas por oitis e paus-pretinhos (Winnetou Almeida )

Parte do Centro de Manaus teve o trânsito interditado ontem por conta da continuação do serviço de poda e manejo da arborização na praça da Matriz de Nossa Senhora da Conceição e no seguimento da avenida Eduardo Ribeiro. No total serão  184 árvores manejadas, sendo que quatro delas tiveram que ser derrubadas porque estavam pendendo e sendo seguras apenas pela fiação da rede elétrica.

O trânsito ficou congestionado na  Eduardo Ribeiro, na avenida Getúlio Vargas e nas ruas de acesso. Fiscais da Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) orientavam os condutores de veículos desde as primeiras horas da manhã.

‘De um, tudo...’

Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Sustentabilidade (Semmas), que está coordenando a ação, o trabalho maior é com o que vem sendo encontrado no meio da folhagem das árvores, materiais como fio elétrico, prego, tomada elétrica e até fiação de TV a cabo e suporte para apoiar aparelho de televisão.

Os camelôs usavam a folhagem das árvores para encobrir, entre outras coisas, ligações elétricas irregulares, o chamado gato.

De acordo com o diretor de Arborização e Paisagismo da Semmas, Heitor Liberato, o trabalho é longo e não há como fazer uma previsão exata do tempo que vai durar.

Com o corte dos galhos inferiores das árvores, as equipes de trabalho executam o que é chamado de levantamento de copa. Esse trabalho é feito para dar mais visibilidade e ventilação as estruturas arquitetônicas da região.

Espécies

A Semmas informou que só depois de elaborar um laudo técnico é que executou a extração de quatro árvores da espécie denominada picos. Elas estão sendo substituídas por espécies de melhor adaptação à região como oiti e pau pretinho.

“Essa é uma espécie de árvore que é proibida em várias capitais por conta dos danos que ela causa nas calçadas, tubulações e nas redes elétricas. O alcance da raiz é muito longo, por isso, não é indicada para canteiro central e nem para passeios. Apesar de ser exótica, a oiti  faz parte da identidade do Centro de Manaus”, esclarece o engenheiro Heitor Liberato.

A segunda etapa do trabalho de poda e manejo da arborização será desenvolvida no sábado de Carnaval, na avenida Eduardo Ribeiro, entre a Sete de Setembro e a praça do Instituto de Educação do Amazonas (IEA). Todo esse trecho será interditado, a partir de 05h30 da manhã para a circulação de veículos por todo o dia.

Equipes

Além da Semmas, fazem parte da força-tarefa equipes das secretarias municipais do Centro (Semex), Limpeza e Serviços Público (Semulsp) e de Infraestrutura (Seminf), Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) e Eletrobras Amazonas Energia.

Revitalização

As áreas tanto da Praça da Matriz quanto do passeio onde fica o Relógio Municipal estão cercadas por tapume. A medida indica o início dos trabalhos de revitalização, prometidos pela prefeitura. Calçadas deverão ser recuperadas e piso de asfalto dará lugar a de paralelepípedos.

Em números

R$ 35 milhões   é o volume de recursos  que  o prefeito Artur Neto (PSDB) disse ter pedido da presidente Dilma Roussef para restaurar a praça da Matriz, o relógio, a praça Tenreiro Aranha, o Museu do Homem do Norte, praça Adalberto Valle, Pavilhão Universal, Cabaré Chinelo, Biblioteca  Municipal e a antiga Câmara Municipal. Todos integrantes do centro histórico.

Encerra pagamento de bolsa

A prefeitura encerra hoje o pagamento do  Bolsa Empreendedor destinado aos camelôs que saíram das ruas e hoje trabalham nas galerias provisórias. Somente ontem 200 receberam o benefício, que está condicionado a participação em cursos de empreendedorismo. Ontem também a prefeitura advertiu  os comerciantes que estão com o CPF bloqueado para buscarem a regularização e assim poder  sacar o benefício.

O secretário extraordinário do Fundo Municipal de Fomento à Micro e Pequena Empresa (Fumipec), David Reis, explicou que cerca de 20 camelôs apresentam irregularidades no CPF.

O pagamento do benefício é feito em quatro agências bancárias, todas localizadas no Centro para facilitar o acesso dos camelôs.

A comerciante Márcia Gama, 35, recebeu a bolsa no valor de R$ 1 mil e garante que a ajuda veio em boa hora. “O movimento ainda está fraco, até por conta das chuvas, mas com esse dinheiro poderei manter em dias as contas de casa. Até porque tenho filhos e não podemos ficar sem o alimento do dia a dia”, disse.