Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Manauenses avaliam positivamente a Copa do Mundo mas esperam mais investimentos

Com o fim do Mundial, os manauenses avaliaram o que a Copa trouxe para a cidade, criticaram o que faltou

População avalia o legado da Copa

População avalia o legado da Copa (Luiz Vasconcelos)

Eles compareceram à Arena da Amazônia, torceram, vibraram e foram campeões em simpatia no tratamento com os turistas nesta Copa do Mundo. Agora, com o fim do Mundial, que agitou a capital amazonense nas últimas semanas, os manauenses avaliaram o que a Copa trouxe para a cidade, criticaram o que faltou e fizeram suas apostas sobre quais serão os grandes legados deixados pelo evento futebolístico.

Para alguns dos moradores de bairros que se movimentaram em função do evento, a construção da Arena da Amazônia Vivaldo Lima foi apontada como uma das principais contribuições deixadas pelo Mundial da Fifa. “A Arena, sem dúvida, é a contribuição mais concreta deixada pela realização da Copa em Manaus. O estádio foi o que de fato ficou para a cidade”, avaliou o mototaxista Pablo Rufino Lima, 27.

Pablo que mora na rua 3, do bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste, - a via mais enfeitada pelos moradores e que recebeu em torno de 20 mil visitantes durante o torneio -  comentou que para se tornar um verdadeiro legado, o estádio precisará de apoio tanto do governo do Estado quanto da prefeitura para atrair eventos e incentivar o esporte local. “Da mesma forma, os dois centros de treinamento que não foram usados - Carlos Zamith, no Coroado, e o Estádio da Colina – precisam ser ativados para estimular o futebol amazonense”, observou.

A proprietária de um salão na rua 3, a cabeleireira Ivanete Figueiredo,44, apontou mudanças na infraestrutura da cidade, como um fator positivo ocasionado pelo Mundial.  “Por causa da Copa, vimos algumas modificações como a reforma do aeroporto, a faixa azul para organizar o trânsito e o asfaltamento de ruas. Muito mais poderia ter sido feito, mas foi um início”, relacionou a cabeleireira.

Visibilidade e segurança

Mas foi a contribuição para o turismo, o maior legado que o evento poderia trazer para a cidade. “Manaus foi vista e durante os jogos realizados na cidade esteve no centro das atrações. Chamou a atenção de jornalistas e turistas no mundo inteiro. E é essa visibilidade que pode trazer turistas de volta, além de novos visitantes, gerando emprego e renda”, ressaltou o aposentado José Carlos Rage, 64, uma das pessoas que ajudou a ornamentar a rua Santa Isabel, no bairro Praça 14.

O policiamento também se destacou. Seja para reforçar a segurança de turistas como para garantir a festa nos bairros da cidade, a segurança foi apontada com um ponto positivo.  “Nós sofríamos assaltos constantemente aqui. Depois que os jogos começaram, o policiamento foi redobrado. Esperamos que esse efeito da Copa não passe”, contou o eletricista Gilcimar de Moura, residente do bairro São José, Zona Leste.