Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ação emergencial tenta conter o nível do rio em Parintins (AM)

Uma das principais vias do bairro Itaúna, a avenida Paraíba terá o nível elevado para garantir fluxo de veículos e pedestres

Centenas de famílias sofrem com as alagações e muitos comerciantes amargam prejuízos

Centenas de famílias sofrem com as alagações e muitos comerciantes amargam prejuízos (Arquivo AC)

Mais de 10 mil sacas de material argiloso (misturado com cimento) estão sendo  colocados na avenida Paraíba, no bairro de Itaúna 1, com o objetivo de conter o nível da água do rio Amazonas, que afeta dezenas de comércios e residências na maior cheia da história  em Parintins, município que se prepara para o Festival Folclórico da “Copa do Mundo”.

O “rip rap” construído pela empresa Socorro Carvalho, contratada pela prefeitura do município, tem uma extensão de aproximadamente 200 metros, segundo informou um dos engenheiros da obra, Ronaldo Farias, e vai garantir o fluxo de pedestres e veículos a qualquer época do ano após a finalização. Segundo ele, a previsão para liberar a avenida é até o dia 25 de junho, antes do festival.

“Depois dessa fase de colocação de rip rap, vamos nivelar com concreto para poder liberar a pista para o tráfego neste primeiro momento. Não que a obra esteja finalizada, porque vamos continuar com o acabamento”, destacou o engenheiro.

Centenas de famílias sofrem com as alagações e muitos comerciantes amargam prejuízos. O dono de um mercado na avenida Paraíba, Ailson Pereira da Cruz, 32, contabiliza um prejuízo de mais de R$ 5 mil com o bloqueio da rua. “Essa era uma avenida muito movimentada. Pelo menos 90% da minha clientela deixou de frequentar o meu comércio. Os outros 10% são dos moradores aqui de perto”, lamentou.

A rua Alcides Seixas, no bairro de São Francisco, também é afetada pela enchente. Pontes de madeira foram construídas pela prefeitura enquanto os moradores aguardam pela descida do nível do rio, que gira em torno de 3 a 4 centímetros por dia, segundo informações dos moradores que tiveram que fazer marombas em suas residências para não abandonarem o local.

Buracos

No bairro Paulo Corrêa, as ruas 3 e Gene Bentes, além do sofrimento com a invasão das águas da enchente do rio Amazonas, parte das vias também estão cheias de buracos, dificultando a passagens de veículos.  A prefeitura não informou quais ações fará na via.