Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Foragido do Compaj é preso suspeito de comandar mini laboratório de drogas

Ele foi preso em uma casa juntamente com outras cinco pessoas, entre elas, um adolescente de 17 anos. Moradores da área já haviam feito denúncias sobre as atividades ilegais na casa

o caso foi registrado no 30° Distrito Integrado de Polícia (DIP)

O caso foi registrado no 30° Distrito Integrado de Polícia (DIP) (Winnetou Almeida)

Um foragido do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), suspeito de comandar um minilaboratório de drogas, foi preso nesta terça-feira (19) juntamente com outras cinco pessoas, entre elas, um adolescente de 17 anos.

Eles estavam em uma casa na rua Anador, bairro Jorge Teixeira, 4ª etapa, Zona Leste de Manaus e foram alvo de várias denúncias de moradores do local, dando conta de um grupo ficava trancado na casa preparando substâncias entorpecentes.

Policiais militares da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e policiais civis do 30º Distrito Integrado de Polícia (DIP) se dirigiram à casa por volta das 15h, cercaram o imóvel e entraram, encontrando nove pessoas lá dentro bem como cerca de 500 gramas de pasta-base de cocaína.

Neilton Straus Nogueira, 35, Paulo César da Silva de Jesus, 18, Geílze Pantoja Monteiro, 22, Andreza de Souza Santos, 24 e Roseney Silva de Jesus, 19, foram presos na casa. Os demais eram adolescentes, dos quais só um, de 17 anos, foi apreendido pelos policiais. Eles não resistiram à prisão.

Neilton foi descrito por Geórgia Cavalcanti, Delegada Adjunta do 30º DIP, como um homem extremamente perigoso e que está sendo investigado por potencial envolvimento em homicídios. Ele cumpria pena no regime semi-aberto do Compaj até janeiro deste ano, quando fugiu.

Segundo os policiais, ele era chefe da boca e, dentro dela, tinha funções como trazer a droga para ser preparada e levá-la para a comercialização. A operação foi possibilitada, largamente, pelo difícil acesso à casa: a rua em que ela se situa não tem saída, terminando num escadão, de maneira que o policiamento é infrequente.

Os suspeitos serão conduzidos à Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, onde ficarão à disposição da Justiça.

*com informações de repórter Kelly Melo