Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Loteamento Vale do Sinai espera por infraestrutura há seis anos

Moradores sofrem com a falta de asfalto e bueiros no local. Segundo um deles, uma obra da Prefeitura para resolver o problema do escoamento de água ficou inacabada

Rua 26, do Loteamento Vale do Sinai, alaga constantemente sem bueiros

Rua 26, do Loteamento Vale do Sinai, alaga constantemente sem bueiros (Divulgação)

Os moradores do Loteamento Vale do Sinai, no bairro Manôa, zona Norte de Manaus, estão sofrendo com as condições do local. As ruas, que não são asfaltadas, alagam constantemente. Fabrício Ferreira de Castro, 27, conta dos diversos transtornos que atingem o loteamento na época das chuvas.

"A rua 26, onde moro, fica toda alagada e o barro fica tão liso que é impossível passar de carro às vezes. Até andar é complicado, minha filha já caiu na rua no trajeto para a escola um dia", explicou Fabrício.

Segundo ele, a Prefeitura iniciou obras para conduzir as águas pluviais para um igarapé das proximidades, porém nunca concluiu o serviço. "Há seis anos, a Prefeitura veio, colocou alguns tubos aqui e fez um 'rip-rap' no igarapé, só que ficou inacabado. Eles alargaram um pouco o igarapé no processo, mas não chegaram a concluir a obra da drenagem. A água continua alagando a rua e ajuda a erodir as margens do igarapé. Uma vizinha minha quase perdeu a casa dela por causa disso, ela que teve que colocar uma mureta lá pra se resguardar", contou o morador.

O problema maior, ressaltou o morador, é falta de drenagem. "Não temos bueiro, então a nossa situação é complicada".

"Esses seis anos se passaram e nada foi feito. Quando conseguimos falar com a Prefeitura, nos foi dado o prazo de fevereiro de 2014 para que tudo estivesse resolvido, mas não deu em nada. Um novo prazo para agora, final de abril, e até hoje ninguém apareceu aqui", explicou Fabrício.

Até o fechamento desta matéria, a equipe do ACRITICA.COM não conseguiu contato com a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), para comentar o assunto.