Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Moradores do Tupé participam de capacitação para a organização da atividade turística

O curso faz parte do Programa de Qualificação do Segmento Turístico, desenvolvido em parceria com a Escola de Serviço Público Municipal (Espi), Semmas e Manauscult 

Moradores do Tupé participam de capacitação para a organização da atividade turística

Moradores do Tupé participam de capacitação para a organização da atividade turística (KARLA VIEIRA/SEMCOM)

Um total de 32 moradores de diferentes comunidades da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé, unidade de conservação municipal administrada pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), participou, neste final de semana, da abertura do curso de Capacitação em Roteiro Turístico de Base Comunitária, oferecido à população ribeirinha e comunidades tradicionais existentes na RDS, como forma de apoiar na organização da atividade, gerando renda e garantindo a sustentabilidade na área.

 
O curso faz parte do Programa de Qualificação do Segmento Turístico, desenvolvido em parceria com a Escola de Serviço Público Municipal (Espi), Semmas e a Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult). O primeiro dia de aulas foi aberto na manhã deste sábado, 17, com a presença da secretária municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Kátia Schweickardt, o diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula, e a diretora-geral da ESPI, Luiza Bessa.
 
A secretária Kátia Schweickardt ressaltou que, muito mais que oportunidade de aprendizado, as capacitações têm fundamental importância no processo de valorização da cultura e do saber local das populações tradicionais e comunidades ribeirinhas. “Conseguir melhorar a qualidade de vida da população que vive na reserva e ajudar a conservá-la está entre as prioridades da administração do prefeito Arthur Virgílio Neto e o turismo de base comunitária é importante para a reserva. Daí, a parceria entre a Semmas, Manauscult e a Espi para realizar um primeiro curso para formação de agentes de turismo de base comunitária”, explicou Kátia Schweickardt.
 
Mesmo com a praia submersa, devido à cheia dos rios, a secretária destacou que o visitante pode ter a oportunidade de conhecer o modo de vida da população ribeirinha, seus hábitos e costumes, que também são atrativos turísticos. A expectativa é de que o Tupé seja uma das áreas mais visitadas durante o mês de junho, por conta dos jogos da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014  e os turistas que Manaus vai receber.
 
A maioria das famílias residentes na RDS do Tupé sobrevive da agricultura familiar e da venda de produtos a visitantes. Ao todo, a Reserva possui seis comunidades – Julião, Livramento, Agrovila, Colônia Central, Tatu e São João do Tupé. “Muita gente conhece apenas a praia e não sabe que a reserva tem seis comunidades tradicionais que têm o seu valor cultural e podem organizar a atividade turística como empreendimento, a partir de suas referências”, afirmou Kátia.
 
O presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula, destacou que a RDS do Tupé é um dos “Top Dez dos destinos turísticos de Manaus” e um dos lugares com potencial enorme para o turismo. “Compete à Prefeitura de Manaus, por meio da Semmas, Manauscult e da Espi, aperfeiçoar a oferta desses atrativos turísticos com a qualificação. Estamos na cheia e a praia está alagada, só que existe o turismo de base comunitária, através do qual é possível conhecer como vive o ribeirinho e é isso que a Prefeitura de Manaus vem fomentar, trabalhando de forma sazonal e mostrando que o Tupé não é apenas a praia, tem muitas outras belezas a oferecer nas seis comunidades”.
 
A diretora-geral da Espi, Luiza Bessa, explica que a Escola de Serviço Público dá o suporte para que todas as unidades gestoras da Prefeitura de Manaus possam desenvolver processos de qualificação e capacitação junto aos servidores e públicos específicos. “A Semmas e a Manauscult  identificaram a necessidade de capacitar os comunitários que desenvolvem o turismo de base comunitária em uma área administrada pelo município, e nós entramos fazendo a formatação do curso, com uma visita prévia, para identificar as necessidades e o perfil da comunidade, bem como as demandas de material didático para o devido suporte às atividades, contratação do professor, entre outras providências que estejam afetas à parte pedagógica. Trabalhamos tanto com o público interno, quanto com os permissionários dos mercados, feiras e, agora, na RDS do Tupé”, afirmou.
 
O primeiro curso de capacitação dos comunitários dentro do Programa de Qualificação do Segmento Turístico na RDS do Tupé foi o de Formatação de Roteiro Turístico. A finalidade foi a de estabelecer os parâmetros para a elaboração de um roteiro de atrativos a partir das referências das comunidades da reserva. As aulas aconteceram na Escola Municipal de Ensino Fundamental da Comunidade São João do Tupé. Álvaro de Oliveira Bastos, 59, é morador da comunidade Julião e se disse esperançoso com a oportunidade de participar dos cursos. Ele trabalha com agricultura familiar e também é mateiro e profundo conhecedor das trilhas existentes na comunidade. “Espero aprender mais com os cursos, porque isso vai ajudar na geração de renda complementar no nosso trabalho com a agricultura”, afirmou. 
 
Além deste, está programado ainda neste primeiro semestre o curso Aprendendo a Empreender, nos dias 31 de maio e 1° de junho, voltado aos permissionários da Praia do Tupé e aos comunitários que possuem estabelecimentos na RDS. Para o segundo semestre, estão previstos os cursos de Manipulação de Alimentos e Bebidas, Monitor Ambiental e Noções de Gastronomia e Elaboração de cardápio. Serão oferecidos também cursos de Inglês Básico para os servidores municipais dos parques Ponte dos Bilhares e do Mindu.

*Assessoria de Comunicação.