Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Moradores de comunidade da Zona Leste fazem protesto pela celeridade do Prosamim na área

Os manifestantes reclamam da demora na retirada das famílias da comunidade da Sharp prometida pelo Governo do Amazonas no ano passado

Moradores de comunidade da Zona Leste fazem protesto

Os moradores colocaram fogo em pneus e fecharam os dois lados da avenida Autaz Mirim (Jhonny Lima)

Aproximadamente 40 moradores da comunidade da Sharp, localizada na Zona Leste de Manaus, bloquearam a avenida Autaz Mirim e incendiaram pneus em protesto à falta de infraestrutura e retirada das famílias pelo Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), na manhã desta segunda-feira (24).

Os manifestantes fecharam a via pública às 5h30, permaneceram por cerca de uma hora e meia no local e o trânsito foi gravemente prejudicado. A polícia precisou jogar uma bomba de efeito moral para dispersar a multidão.

De acordo com a dona de casa Luciana Marcos da Silva, 41, o Governo do Amazonas esteve com uma comitiva na comunidade em outubro do ano passado, onde houve a promessa de que as famílias seriam beneficiadas pelo Prosamim ainda em 2013, mas a comunidade reclama da morosidade no processo.

“Há quatro meses foi prometido que as famílias seriam retiradas até o fim do ano pela primeira dama Nejmi Aziz e nada foi feito. Estamos em uma situação precária, expostos ao perigo, lixo, cobras, jacarés, escadas e pontes quebradas, com riscos de desabamentos. Queremos que seja dado celeridade no processo do Prosamim”, declarou Luciana.

A comunidade da Sharp, que existe há cerca de 20 anos, tem mais de três mil famílias cadastradas no programa. Os moradores fecharam a via pública com uma barricada de pneus e atearam fogo como forma protesto. A polícia militar teve que ser acionada.

Segundo o tenente J. Marcos, da 25ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), uma bomba de efeito moral precisou ser jogada para que os mesmo saíssem da barreira improvisada. Não houve vítimas na ação, que configurpu-se pacífica. Bombeiros também foram acionados e apagaram o fogo colocado nos pneus.

Agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans) orientaram os motoristas que ficaram parados nos dois lados da via por cerca de uma hora e meia. O tráfego de veículo voltou ao normal somente por volta das 7h.

Em nota a Agência de Notícias do Governo (Agecom) informou que a secretária estadual de Infraestrutura, Waldívia Alencar se reuniu com cerca de 400 moradores da Comunidade da Sharp para prestar esclarecimentos e tirar todas as dúvidas sobre o projeto de requalificação urbanística e ambiental do igarapé que corta a comunidade.

Uma equipe formada por técnicos da Seinfra e Defesa Civil deve ia ao local para avaliar a situação e determinar a demolição imediata desses imóveis, caso seja constatado o risco de desabamento e a consequente retirada dos moradores do local. 

A secretária se comprometeu em voltar ao lugar dentro de 30 dias para informar o avanço do processo referente ao igarapé da Comunidade da Sharp e reforçou que todos os moradores, mesmo aqueles que, por algum motivo, não tenham sido cadastrados, serão inseridos no processo no decorrer da obra.