Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

PM denuncia o próprio filho por envolvimento com o tráfico de drogas

Mesmo com o 'coração de pai na mão', ele acredita que a repressão possa fazer o adolescente refletir sobre o envolvimento com as drogas e tentativa de agressão contra a mãe

Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai)

O jovem foi levado para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai) (Marcio Melo)

Prisões e apreensões de adolescentes são comuns na vida de um policial militar, porém ver o próprio filho, de 17 anos, envolvido com o tráfico de drogas não foi fácil para o sargento Humberto. Na madrugada desta terça-feira (10), o adolescente foi apreendido na casa onde morava com a mãe, ex-mulher do PM, localizada no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte de Manaus, portando drogas e dinheiro após ser denunciado pelo pai.

De acordo com informações de policiais militares da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), o sargento entrou em contato com o Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS) e pediu apoio policial, pois o seu filho teria envolvimento com a comercialização de entorpecentes no bairro, estaria guardando drogas e havia ameaçado agredir a própria mãe, que não teve o nome divulgado para preservar sua imagem.

O policial ainda informou que estava separado da mãe do adolescente, mas que foi informado sobre a situação por ela. Chegando ao local, os policiais encontraram 400 gramas de maconha, 17 trouxinhas de pasta base de cocaína, 14 trouxinhas de maconha e duas de cocaína pura. Com ele também foi apreendido R$ 1.043 em espécie proveniente da comercialização dos entorpecentes na área.

“O militar foi muito corajoso, denunciou o filho por envolvimento com o tráfico mesmo com o coração de pai na mão. Ele disse que foi muito difícil, mas acredita que a repressão possa fazer o adolescente refletir, já que não sabia mais o que fazer com o mesmo”, declarou um dos policiais, que preferiu não se identificar.

O adolescente foi encaminhado à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), onde foi aberto um processo interdisciplinar.