Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Parques montados na cidade tem fiscalização reforçada

Roda gigante, carrossel, balanço e os ‘carrinho de bate-bate’ nunca saem da moda nos festivais folclóricos de Manaus

Balanço radical e roda gigante são campeões de bilheteria no parquinho montado dentro do CSU do Parque 10

Balanço radical e roda gigante são campeões de bilheteria no parquinho montado dentro do CSU do Parque 10 (Evandro Seixas)

Tradicional em arraiais, os parques de diversões, em muitos bairros, são a única opção de lazer para a população, que espera chegar o período de junho, julho e agosto para se divertir na roda gigante, carrossel, autopista, dentre outros. Aumenta, também, a fiscalização dos brinquedos junto aos órgãos competentes como o Corpo de Bombeiros, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (Crea-AM) e Prefeitura de Manaus.

Com o fim da Copa do Mundo de Futebol, as festividades começaram em julho e seguem no mês de agosto. No campo do Centro Social Urbano (CSU), no Parque 10, Zona Centro-Sul acontece, até o dia 31 de agosto, o 34º Festival Folclórico com diversas atrações. Para entreter a molecada, e também adultos, 17 brinquedos do Parque Potolândia foram montados no campo de futebol. Bastante procurado, a roda gigante, loopy, surf, tobogã e autopista fazem a diversão de todos e, de acordo com o proprietário do parque, João dos Santos, o “Potô”, 70, para garantir a segurança dos freqüentadores, todos os brinquedos foram vistoriados e fiscalizados pelo Corpo de Bombeiros, Crea-AM e Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb).

“Todos (brinquedos) passaram por fiscalização. Estão dentro dos padrões e graças a Deus nunca aconteceu nenhum problema de acidente no parque”, garante Potô, que comanda há 25 anos o Potolândia, 16 deles em Manaus.

Expectativa

A industriária Lucélia Nogueira Cardoso, 29, espera todos os anos pelo arraial do CSU do Parque 10 porque leva seu filho de 8 anos para brincar no carrossel e no aviãozinho. Esse ano, segundo ela, o filho quer experimentar novos brinquedos. “Agora ele quer ir no autopista e no tobogã”, acrescentou a industriária, ressaltando que mora no Coroado, Zona Leste, e no bairro não há opções de entretenimento para levar o filho.

No bairro Armando Mendes, encerra neste domingo o Festival Folclórico. Além das danças de ciranda, cangaço, quadrilha, o Parque Santhiago é uma atração à parte. Todos os 14 brinquedos foram fiscalizados, conforme garantiu o proprietário Raimundo Costa Ferreira, o “Macapá”, 71. Extintores de incêndio e placas com orientações de segurança estão presentes na entrada de todos os brinquedos. “Está tudo devidamente vistoriado. Deus me livre se alguma coisa acontecer com alguma pessoa”, esclareceu Macapá.

O casal André Marques e Luciana Almeida, ambos com 32 anos, todos os meses de agosto eles levam os filhos, de 8 e 12 anos, para brincarem no “parquinho”, pois nesse período é comemorado o aniversário do bairro (dia 25) e a comunidade realiza o festival no campo de futebol. Para eles, é o único período do ano em que os filhos podem se divertir sem sair do bairro. “Infelizmente fora desse período não tem nenhum lugar que eu possa levar meu filhos para se divertirem com segurança no bairro. A solução é levá-los aos shoppings”, explicou André.

Tradições

Brinquedos tradicionais como o chapéu mexicano, a casa da Monga, a Mulher-Macaco, e roda gigante resistem ao tempo e continuam presentes em vários parques de Manaus. Outras atrações também não podem faltar nos “parquinhos”, como o tiro ao alvo e a pescaria.

Fiscalização garante a segurança

Todos os parques de diversões, itinerantes ou não, precisam do licenciamento do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), do auto de vistoria do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas e da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), firmada por profissional do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), assumindo a responsabilidade técnica pela montagem e boas condições de funcionamento e instalações.

De acordo com o superintendente adjunto de fiscalização do Crea-AM, Francisco Gonzaga, no caso dos parques itinerantes, a cada montagem o proprietário deve obter a ART.

Em Manaus, segundo ele, a parceria junto com o Implurb e Corpo de Bombeiros tem contribuído para que os parques clandestinos percam espaço para os habilitados. “O importante é que as pessoas saibam quais são os parques que são habilitados para funcionar e denunciem as irregularidades”.

Parques licenciados pelo Implurb

Parque Santhiago - campo de futebol da Liga Desportiva do bairro Armando Mendes, Zona Leste;

Nene Park - avenida Autaz Mirim, São José, Zona Leste;

Parque de Diversões Mundo da Criança - praça de Alimentação da Cidade Nova, Zona Norte;

Mirage Park - avenida Recife, Parque 10, Zona Centro-Sul;

Parque de Diversões Happy Times (Vila da Galinha Pintadinha) - área de Eventos do Amazonas Shopping;

Parque de Diversões Potolândia - Centro Social Urbano (CSU) do Parque 10, Zona Centro-Sul;

Imperial Center Park - campo de futebol do Lidam, rua 4, Amazonino Mendes, Zona Norte.