Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Prédio de UBS desativada após acidente é invadido por família, na Zona Sul de Manaus

O prédio foi desativado em janeiro deste ano pela Semsa após um acidente de trânsito. Moradores da área reclamam da morosidade na reforma

Prédio de UBS desativada é invadido por família na Zona Sul de Manaus

Prédio de UBS desativada é invadido por família na Zona Sul de Manaus (Luiz Vasconcelos)

O local onde funcionava uma Unidade Básica de Saúde (UBS), localizada na avenida Danilo Corrêa, bairro Petrópolis, na Zona Sul de Manaus, foi invadida por uma família há, aproximadamente, uma semana. O prédio foi desativado em janeiro deste ano pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), depois que um carro desgovernado invadiu e danificou a estrutura frontal da unidade de S41. Moradores reclamam da morosidade na reforma e da falta de atendimento médico que isso causa.

De acordo com a dona de casa Ana Karoline, 53, o local foi fechado há dois meses e desde então representantes da Semsa não foram ao local, muito menos iniciaram os trabalhos de reforma prometido na ocasião do acidente.

“Compreendo que algumas famílias não tenham onde morar, mas isso é culpa dos nossos governantes que não trabalham com uma boa política de habilitação e de inserção dos grupos mais desprestigiados no mercado de trabalho. A falta de atendimento nesta unidade compromete a saúde das famílias que aqui vivem, e agora precisamos nos deslocar para outro posto. Precisamos urgentemente que a Secretaria venha e resolva isso, colocando a unidade em funcionamento”, desabafou a dona de casa, que é hipertensa e fazia o acompanhamento médico no local.

Já o contador Ivan Guilherme, 36, relatou à nossa equipe de reportagem a importância e a utilidade da UBS para a comunidade, além de salientar que a invasão aconteceu devido morosidade no plano de reforma.

“Se houvesse preocupação com o atendimento da população, essa invasão não teria acontecido. Isso só mostra o descaso do poder público. Hoje os atendimentos são feitos em outra unidade de saúde e precisamos nos deslocar. Algumas pessoas doentes sofrem com esse deslocamento. Devemos utilizar esse espaço, já que está disponível em favor do bem comum”, salientou.

Acidente

Uma mulher que dirigia um veículo Chevrolet Celta, de cor vermelha e placas JWZ-3564, derrapou na pista que estava molhada no último dia 13 de janeiro, perdeu o controle do carro e colidiu na UBS S-41, .

O atendimento foi suspenso e a Semsa informou na ocasião que o local seria reformado, sem informar um período para o início da obra.

Posicionamento Semsa

A reportagem do ACRÍTICA.COM entrou em contato com a assessoria de imprensa da Semsa, que informou que a UBS S41 está em processo de doação ao Conselho Local de Saúde, na Procuradoria Geral do Município (PGM), e que enviará uma equipe até o local para averiguar a denúncia de invasão.

Após a averiguação, o órgão encaminhará a situação à PGM para providências que se fizerem necessárias quanto à retirada da família.

O atendimento dos pacientes desta unidade está sendo realizado com a mesma equipe de profissionais que trabalhava no local antes do acidente nas dependências da UBS Lourenço Borghi, localizada na Travessa S6, no bairro Japiim, também na Zona Sul.

Doação das unidades

A assessoria informou, ainda, que estas unidades têm cerca de 32 metros quadrados, são chamadas popularmente de “casinha” e estão sendo todas doadas  aos Conselhos Locais de Saúde. Isso porque os seus espaços são considerados pequenos para atender a demanda dos moradores, além de não proporcionar um tamanho suficiente para ampliação dos serviços oferecidos.

Academias da Saúde

A Prefeitura de Manaus está construindo novas unidades de saúde com mais de 500 metros quadrados para atender a população.

Entre eles, a Academia da Saúde, que vai contar com o atendimento de profissionais como nutricionistas, psicólogos, professores de educação física, fisioterapeutas e etc.