Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Carona na caçamba: Sobrevivente de acidente presta depoimento nesta quarta-feira

Vítimas e testemunhas do acidente estão sendo chamadas para depor à polícia nesta semana

Raimundo Nogueira, que é motorista de retro-escavadeiram, estava de carona dentro da cabine do caminhão caçamba no momento do acidente

Raimundo Nogueira, que é motorista de retro-escavadeira, estava de carona dentro da cabine do caminhão caçamba no momento do acidente (Clóvis Miranda)

Raimundo Nogueira dos Santos, que estava na caçamba envolvida no grave acidente da última sexta-feira (28) e um dos únicos sobreviventes que pode ajudar a esclarecer o que aconteceu, prestou depoimento ao delegado titular da Delegacia Especializada em Acidente de Trânsito (Deat), Luiz Humberto Monteiro, na manhã desta quarta-feira (2).

Ele e outras vítimas que já receberam alta médica, assim como testemunhas do acidente, estão sendo chamadas para depor durante essa semana. A Especializada investiga as causas do acidente que vitimou 15 pessoas e feriu outras dezessete na avenida Djalma Batista, na Zona Centro-Sul de Manaus.

Acidente

O caminhão de cor branca e placas OAJ-8863, da empresa Etacom - que prestava serviços terceirizados para a Prefeitura de Manaus -, vinha no sentido bairro/Centro quando colidiu de frente com microônibus da linha 825 (Bairro da Paz) e placas NOL-0286, que vinha no sentido contrário.

Raimundo Nogueira, que é motorista de retro-escavadeira, estava de carona dentro da cabine do caminhão-caçamba no momento do acidente, juntamente como o motorista Ozaías Costa de Almeida, 36. Ao contrário do motorista, Raimundo sobreviveu e falou sobre a polícia o que aconteceu momentos antes da colisão.

Alta velocidade

Peritos criminais do Instituto de Criminalística (IC), que fizeram a perícia no local do acidente, concluíram que o veículo pesado estava acima de 80 km/h, muito além do limite de 60 km/h permitido naquele trecho.

Segundo o laudo parcial da polícia, a barra de direção do automóvel só foi quebrada depois do impacto com o micro-ônibus. Outras circunstâncias estão sendo investigadas, como se Ozaías estava alcoolizado na hora do acidente, se ele passou mal ou ainda se perseguia um outro veículo quando perdeu o controle da caçamba.

Ainda nesta tarde, o titular da Deat receberá a equipe de reportagem de A Crítica onde deve falar sobre os depoimentos sobre o caso.

*Colaborou a repórter Perla Soares