Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Suhab contabiliza 108 imóveis abandonados no Amazonas

Apesar do alto número de casas em estado de abandono, nenhuma foi retomada

Um dos imóveis do conjunto Galileia 1, na Zona Nortem que está abandonado

Um dos imóveis do conjunto Galileia 1, na Zona Nortem que está abandonado (Paula Pessoa)

A Superintendência de Habitação do Amazonas (Suhab), informou que, no ano passado, foram detectados cerca de 108 imóveis nessa situação. Desses, apenas dois no bairro Nova Cidade, de 12 identificadas nessa situação, foram retomados em 2010 e repassadas a famílias que aguardavam em nosso banco de dados. Nos demais conjuntos financiados, existem apenas investigações por parte da Suhab e se comprovado a retomada poderá ser feita, informou .

A retomada só pode ser feita em imóveis financiados se o mesmo estiver em débito. Imóvel quitado já não pertence mais ao estado.

A situação deixa indignada a professora de Educação Física Kátia Helena Santos Almeida, 34, da rede estadual de ensino. Em 2004, ela inscreveu-se na Suhab a uma casa no Conjunto Galileia, na Zona Norte e, quando soube que começariam as entregas, ligou para saber se seria contemplada, mas até hoje isso não aconteceu.

Casada, mãe de dois filhos, na época ela morava na casa da mãe, mas hoje paga aluguel, enquanto a mãe aguarda, há três anos, a indenização do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim). “Só algum tempo depois eu soube que minha inscrição não valeria para outros conjuntos, entregues pelo governo”, lamentou ela, questionando os critérios usados para a distribuição dos imóveis, já que é funcionária pública e assalariada.

Matéria divulgada no domingo pelo jornal A CRÍTICA denunciou o abandono de imóveis construídos com dinheiro público, enquanto centenas de famílias esperam por uma oportunidade de ter uma moradia, pagando aluguel, em invasões ou debaixo de pontes. Entre os exemplos mostrados na reportagem, está o conjunto Galiléia 1, onde várias casas, algumas tomadas por matagal, estão desocupadas. Uma foi até colocadas à venda, mas de acordo com vizinhos, o imóvel pertenceria a um delegado de polícia que só aparece no local quando alguém tenta invadir.

Justiça
Quanto às casas que estão comprovadamente em estado de abandono, estão sendo tratadas no setor jurídico da Suhab, mas esse é um processo demorado, que inclui acordo. Segundo o órgão, nos imóveis já quitados e que foram entregues há muito tempo, o contato com os proprietários é difícil. Já os que não estão quitados e têm débitos, o primeiro procedimento é o acordo para quitação do débito e reocupação.

O programa habitacional do Estado é voltado para famílias carentes com renda de até R$ 1,6 mil, que morem em imóvel alugado ou cedido, em áreas de risco, além de deficientes físicos e idosos, informou a assessoria do órgão, informando que o beneficiado recebe visitas das equipes de assistentes sociais para comprovação da situação sócio econômica.

Em números
14mil unidades estão em construção pela Suhab e devem ser entregues até 2014. E 18 mil pessoas estão inscritas nos programas governamentais de casas

Três conjuntos
Nos últimos anos, três conjuntos residenciais foram entregues para funcionários público estadual: Nova Cidade, Galileia e “Ozias Monteiro 1” todos na Zona Norte.