Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Testes rápidos de HIV apontam tendência de aumento de registros de casos em Manaus

Em ação realizada no último domingo (1º), testes rápidos identificaram casos da doença em Manaus

A partir de agora, assim que a pessoa for diagnosticada com o vírus, ela receberá o tratamento imediato na rede pública

A partir de agora, assim que a pessoa for diagnosticada com o vírus, ela receberá o tratamento imediato na rede pública (Reprodução/Internet)

Os testes rápidos de HIV e Sífilis, disponibilizados pelo Estado, no último domingo (1º), na Ponta Negra, na Zona Oeste, foram realizados por 487 pessoas, durante a programação do Dia Mundial de Luta contra a Aids. Cinco foram identificadas com resultado positivo para HIV e outras quatro para Sífilis.

A exemplo de outros casos registrados pela Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT/HVD), as pessoas receberam assistência psicológica imediata e foram encaminhadas para um segundo diagnóstico. Apesar da precisão do teste inicial, um novo é realizado a fim de afastar a possibilidade de erro.

Os novos casos reforçam o aumento de 16,5% de pessoas identificadas com HIV/Aids, no Amazonas, somente este ano. Foram 914 novos casos de janeiro a outubro, contra 784, em 2012. Na conta ainda não estão incluídos o balanço de novembro e início de dezembro. Homens na faixa etária de 20 a 34 anos são maioria no diagnóstico positivo com 68% dos casos contra 32% em mulheres.

De acordo com o secretário de Estado (Susam), Wilson Alecrim, para cada homem ou mulher, sem parceiro fixo, que tem o vírus HIV e não sabe, outras 50 pessoas também estão infectadas e agem como multiplicadores da doença. No Brasil quase 700 mil pessoas foram identificadas com o vírus desde a descoberta dele no Brasil, em 1980, até o ano passado com uma taxa de incidência de 20,2 casos por 100 mil habitantes.

Alecrim contou que o primeiro caso confirmado de HIV/Aids no Amazonas foi registrado em 1986, seis anos depois do primeiro a nível nacional. Naquela década, quando os casos se multiplicaram no Estado, a proporção de soropositivos era de 40 homens para cada mulher amazonense. Os números atuais revelam uma transformação acentuada nas últimas décadas, uma vez que, agora são dois homens com diagnóstico positivo de HIV/Aids para cada mulher.

Conforme Alecrim, a desproporcionalidade acontecia em função dos homens levarem a doença para o “seio familiar” e transmiti-la para a parceira.  Ele chama atenção para a mudança de comportamento das igrejas no combate a Aids.

“Hoje em dia não há mais resistência religiosa porque as igrejas e seus dirigentes entenderam que o incentivo ao uso da camisinha não é um estimulo ao sexo, mas proteção da vida humana”, disse.

Para a diretora da FMT/HVD, Graças Alecrim, houve aumento de casos de Aids porque as ações de diagnóstico foram identificadas. “Existem pessoas que tem HIV/Aids, mas não sabem e se levamos os testes rápidos ao alcance da população, como foi o caso da Ponta Negra, o esperado é que surjam novos casos. Estamos intensificando as ações de esclarecimento e testes rádios. Com esse testes ficou muito mais fácil e rápido de trabalhar com a população”, falou.

Nas UBSs

Até sexta-feira (13) Unidades Básicas de Saúde estarão realizando palestras e testes rápidos de Aids e Sífilis. Ele pode ser encontrado nas UBSs Megumo Kado; Frei Valério Di Carli; Augias Gadelha; Santa Luzia; Amazonas Palhano; Morro da Liberdade; Maria Leonor de Freitas e Bairro da Paz. As policlínicas Ana Barreto, Dr. Antônio Comte Telles; José Antonio da Silva e Raimundo Franco de Sá também oferecem os testes rápidos, além o posto de Saúde Rural Pau-Rosa.