Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Trio é preso após matar e estuprar adolescente surda e muda no Centro de Manaus

Depois de serem pressionados, dois suspeitos confessaram o crime com ajuda de uma terceira pessoa. Em depoimento eles declararam que a estrangularam e depois cometeram o estupro

Trio é preso após matar e estuprar adolescente surda e muda no Centro de Manaus

Trio é preso após matar e estuprar adolescente surda e muda no Centro de Manaus (Luiz Vasconcelos)

Policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) apresentaram na manhã desta quinta-feira (27) três suspeitos de matarem e estuprarem a adolescente Mey-Lee de Oliveira Cintra, de 17 anos, que era surda e muda, na madrugada de quarta-feira (26), em um terreno baldio entre as ruas Ramos Ferreira e Epaminondas, ao lado da Praça da Saudade, no Centro de Manaus.

Os irmãos Emerson Santos Gama, 26, e Maelson Frota Santos, 24, além do seu namorado, Daniel Santos Cruz, 20, foram presos e confessaram o crime aos policiais da especializada. Os três trabalhavam como flanelinhas na área central da cidade

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Amazonas, ainda na manhã de quarta-feira quando o corpo foi encontrado por funcionários de uma agência bancária, Maelson e Daniel foram presos no terreno baldio enquanto dormiam.

Os suspeitos foram encaminhados para a sede da DEHS, onde foram ouvidos e negaram inicialmente ter participação no crime. Depois de serem pressionados, eles confessaram ter matado a adolescente com a participação de uma terceira pessoa. Emerson foi preso por volta das 16h na rua 1, do bairro Armando Mendes, na Zona Leste da cidade. Ao chegar na delegacia, o suspeito tentou agredir o irmão e o seu companheiro.

A mãe da vítima ficou cara a cara com os assassinos da filha

A assessoria de imprensa informou ainda, que em depoimento Mauelson e Daniel declararam que estavam consumindo drogas no terreno baldio quando Emerson chegou ao local com a vítima. Eles teriam se isolado no matagal e após alguns minutos ambos escutaram um barulho. Ao se aproximarem dos dois, Emerson estava nervoso e ameaçou matá-los se dissessem algo para a polícia. Depois ele pulou o muro e fugiu.

Daniel e Mauelson foram até Mey-Lee, que se debatia no chão com marcas no pescoço. Drogados, eles terminaram de afixiar a adolescente e depois a estupraram. Em depoimento, eles afirmam que a jovem já estava morta durante a violência sexual, porém, a polícia vai confirmar se o estupro aconteceu antes ou depois da morte por meio do exame necropsial. Eles confessaram que são usuários de drogas e que a jovem também costumava a usar entorpecentes.

De acordo com a mãe de Mey-Lee, que não teve o nome revelado pela polícia, reconheceu o corpo da adolescente e esteve na Dehs durante a apresentação dos suspeitos. Segundo ela, a filha era deficiente auditiva e se comunicava por meio da escrita. Os cadernos encontrados próximos ao corpo pertenciam a jovem que morava com a família Parque Residencial Manaus – conjunto habitacional do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim).

Os suspeitos foram autuados por homicídio qualificado e podem responder por vilipêndio – que é o estupro após a morte – se comprovado por meio do exame. OS três foram encaminhados à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa.