Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Trio é suspeito de matar homem a golpes de remo e enterrá-lo, em Manaus

O líder comunitário da comunidade São Sebastião do Tarumã, Waldison Melgueiros, o "Cuiu", é apontado como mandante do crime e também foi preso

Os suspeitos declararam em depoimento que, no meio do caminho eles pararam em um terreno e agrediram a vítima a golpes de remo

Os suspeitos declararam em depoimento que, no meio do caminho eles pararam em um terreno e agrediram a vítima a golpes de remo (Jaíze Alencar)

Michel Wendell Melgueiros da Costa, 19, Jackson Oliveira Avelino, 23, e o líder comunitário Waldison Valério Melgueiros, 31, conhecido “Cuiu”, foram presos por participação no homicídio de William dos Santos Azevedo, 23, conhecido como “Pulga”, que ocorreu em junho de 2013. Eles foram e apresentados na manhã desta segunda-feira (2) na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (Dehs) e de acordo com a polícia, eles são suspeitos de agredir a vítima com remos e enterrá-lo vivo em uma cova rasa na comunidade São Sebastião do Tarumã.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Amazonas, o primeiro a ser preso foi Michel. Ele foi interceptado por policiais militares da 19ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) com uma motocicleta roubada na madrugada da última sexta-feira (30). Ele foi autuado em flagrante por receptação e na delegacia os policiais descobriram que o mesmo era procurado pelo crime de “ Pulga” e tinha um mandado de prisão em aberto.

Jackson aproveitou a coletiva de imprensa para sorrir e fazer careta para as câmeras 

Às 19h30 do mesmo dia, Jackson foi preso em sua residência localizada na avenida Rio Negro, bairro Santo Agostinho, na Zona Oeste de Manaus. A equipe de investigação da especializada esteve na comunidade atrás de Waldison, mas o mesmo não foi encontrado. No último sábado (31), a polícia o localizou na casa da irmã, situada na rua São Tomé, no Lírio do Vale I, e realizou a detenção.

Segundo testemunhas do crime, Michel, Jackson e um adolescente de 17 anos convidaram William para uma festa na comunidade e foram vistos saindo juntos do local em uma canoa. Os suspeitos declararam em depoimento que, no meio do caminho eles pararam em um terreno e agrediram a vítima a golpes de remo. Após William desmaiar, eles o enterraram em uma cova rasa.

O crime aconteceu no dia 19 de junho de 2013 e o corpo foi encontrado por populares uma semana depois do crime em estado avançado de decomposição. Durante as investigações, os policiais descobriram que o mandante do crime foi o líder da comunidade Waldison, que também é apontado como traficante de drogas por testemunhas. A motivação para o assassinato teria sido um suposto roubo de entorpecentes praticados pela vítima dias antes do crime. Michel confessou e declarou ainda que deu R$ 500 para Jackson e o adolescente pela execução de William, entretanto, a polícia acredita que o valor foi pago por “Cuiu”. 

O laudo necropsial não identificou se a vítima foi enterrada viva, mas os suspeitos confessaram aos investigadores que o mesmo estava desmaiado quando foi colocado na cova. Durante a apresentação Jackson demonstrou frieza, sorriu e fez caretas para as câmeras dos fotógrafos.

Eles foram autuados por homicídio e ocultação de cadáver e serão encaminhados para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa ainda nesta manhã.