Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Greve geral do transporte coletivo em Manaus é confirmada

A informação foi dada à reportagem de A Crítica pelo presidente do sindicato, Givancir Oliveira, na manhã desta quarta-feira (5). A greve deve acontecer na próxima segunda-feira (10) e promete atingir todas as linhas do transporte coletivo da capital amazonense

Rodoviários conversaram com o prefeito e empresários

Números divulgados pelo Sinetram sustentam que 17 milhões de pessoas utilizam o transporte coletivo na cidade mensalmente (Luiz Vasconcelos)

A reunião entre os representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário em Manaus (STTRM) e do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) na manhã desta quarta-feira (5) não surtiu o efeito desejado e a greve geral da categoria, sinalizada para a próxima segunda-feira (10), está mantida.

A informação foi confirmada à reportagem de A Crítica pelo presidente do sindicato, Givancir Oliveira. De acordo com ele, problemas relacionados ao plano de saúde oferecido para os funcionários é um dos pontos principais na pauta de reivindicações.

No documento, o Sindicato dos Rodoviários alega que tentou negociar, sem sucesso, com o patronal para a “assinatura do comum acordo para ajuizar ação anulatória cumulada com o dissídio coletivo 2012/2013, assim como a retirada da Financeira Caruana da mediação do contrato com os bancos associados da mesma, junto aos empregados da empresa Líder e terminar com qualquer compensação de horas ou utilização de banco horas”.

O assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges, ao sair da reunião, disse estranhar os motivos apontados pelos rodoviários.  “Todas as questões entre funcionários e patrões devem ser debatidas somente a partir de 1º de maio, que é quando vencer a convenção da categoria”, declarou.

A greve deve acontecer com 70% dos coletivos parados nas garagens das empresas a partir das 4h de segunda. A paralisação afetará todas as zonas da capital amazonense.

*Com informações da repórter Jéssica Vasconcelos

Leia mais na edição do Jornal A Critica desta quinta-feira (6)