Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Manaus terá mais três locais para Teste de Detecção Rápida da Tuberculose

O Teste Molecular Rápido (TMR) é um teste biomolecular, automatizado, simples, rápido e de fácil execução

A maioria dos casos de tuberculose é diagnosticada nas unidades de referência de Manaus

Atualmente, existem quatro máquinas de detecção rápida em Manaus (Ricardo Oliveira/Fapeam)

Com 1.841 novos casos de tuberculose, em 2013, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) ampliará o Teste Molecular Rápido para Tuberculose (TRM-TB) para mais três locais, nas zonas Norte, Sul e Oeste. Atualmente, o serviço funciona apenas no laboratório do Distrito Leste, no São José II. O novo teste substituirá a baciloscopia de escarro para o diagnóstico da forma pulmonar da doença e o resultado sai em até duas horas.

O Núcleo de Controle da Tuberculose do Departamento Municipal de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (DVAE), em parceria com os programas estadual e nacional de controle da Tuberculose, está trabalhando na expansão do projeto do Ministério da Saúde. A implantação está prevista para ocorrer, segundo o secretário municipal de Saúde, Evandro Melo, nesta segunda quinzena do mês de fevereiro de 2014.

Para o uso adequado das máquinas de detecção rápida da doença, profissionais da saúde, prioritariamente, médicos e enfermeiros,  participarão de um treinamento com duração de quatro horas no auditório da Vila Olímpica de Manaus, nos dias 20 e 21 de fevereiro de 2014, nos turnos da manhã e da tarde.

O Núcleo de Controle da Tuberculose da Semsa disponibilizará, para capacitação, 36 vagas para cada Distrito da área urbana (Leste, Norte, Oeste e Sul) e 16 vagas para o Distrito Rural. A prioridade de atendimento dos profissionais que atuarão na detecção rápida é para médicos e enfermeiros das Unidades Laboratoriais da Rede Saúde Manauara, como também as unidades que apresentem um maior número de sintomáticos respiratórios identificados em 2013.

O Teste Molecular Rápido (TMR) é um teste biomolecular, automatizado, simples, rápido e de fácil execução por parte dos laboratórios que detecta, simultaneamente, o bacilo causador da doença como também a resistência ao antibiótico rifampicina, com a análise do escarro.

“Com o novo teste vai ser possível aumentar a detecção dos casos de tuberculose pulmonar, em função da maior agilidade no diagnóstico e, também a redução da morbidade, mortalidade, transmissão da doença e do número de casos tratados de forma errada”, afirma a gerente do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica, Andrea Goulart Junho.

O teste foi aprovado pela ANVISA em 2009 e está disponível para uso também na rede privada. Em 2012, as cidades do Rio de Janeiro e Manaus fizeram testes de utilização das máquinas. Foi com este teste, e posterior aprovação, que o Ministério da Saúde resolveu implantar a detecção rápida em unidades de Saúde de algumas cidades brasileiras.

Atualmente, existem quatro máquinas de detecção rápida em Manaus: Duas no Ambulatório “Cardoso Fontes”, no centro de Manaus; uma no Hospital Tropical e uma na Unidade Laboratorial da Semsa do Distrito Leste, a rua J, s/nº, no São José II, ao lado da Policlínica Comte Telles. Outras três máquinas devem chegar à capital, ainda na segunda quinzena de fevereiro e devem ser direcionadas para as unidades laboratoriais dos Distritos Norte, Oeste e Sul.

Casos

No ano passado, o Brasil registrou 70.047 novos casos de tuberculose, sendo que 1.841 em Manaus. A taxa de incidência da doença no mesmo período foi de 36,1 para cada 100 mil habitantes e na capital amazonense é de 92 por cada 100 mil habitantes.

Sintomas

A tosse por mais de três semanas, com ou sem catarro, é o principal sintoma da tuberculose.  Qualquer pessoa com este sintoma deve procurar uma unidade de saúde para fazer o diagnóstico. Para atingir a cura, o paciente deve realizar o tratamento durante seis meses, sem interrupção, que é oferecido gratuitamente pelo SUS.



*Com informações da assessoria