Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Novo motim termina em morte na Unidade Prisional do Puraquequara

Dois detentos queriam pegar familiares de presos rivais como reféns durante a visita deste domingo (25). Eles foram agredidos e um acabou morrendo após dar entrada no hospital

Policiais militares foram encaminhados para conter a situação dentro da unidade prisional

Policiais militares foram encaminhados para conter a situação dentro da unidade prisional (Luiz Vasconcelos)

Detentos da Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) fizeram um principio de tumulto durante a madrugada deste domingo (25). Segundo informações da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus), dois detentos iniciaram uma confusão e ameaçaram tomar familiares de presos rivais como reféns quando houvesse a visita. Eles foram agredidos e um deles não resistiu aos ferimentos e morreu. Este é o segundo registro de desordem no sistema prisional do Estado em menos de 24 horas.

Ainda segundo a nota enviada pela Sejus, os demais internos da unidade prisional não aceitaram a imposição dos dois presos e partiram para cima da dupla. Rubens Rodrigues Marques Júnior, que responde por tráfico e roubo, e José Adailson Rodrigues de Freitas, conhecido como ‘Ceará’ e respondia por roubo qualificado, foram apontados pelos demais detentos como os autores do motim.

Após ameaçarem os familiares dos outros presos como reféns durante a visita, eles foram agredidos dentro do presídio. Ambos foram socorridos e José acabou morrendo após dar entrada no hospital. Policiais militares foram encaminhados para conter a situação dentro da unidade prisional. Um agente penitenciário que não se identificar deu outra versão a equipe de reportagem de A Crítica. Segundo ele, trinta presos do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), incluindo os dois agredidos, foram transferidos e os detentos da UPP não aceitaram a vinda dos presidiários, começando uma briga interna.

Uma sindicância será aberta para apurar as agressões dentro do presídio. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) estiveram no local e até o momento não se sabe quais presos agrediram José e Rubens.

Rebelião  

Na noite deste sábado (24), os presos do Ipat fizeram uma rebelião que durou até as 3h da madrugada deste domingo. Na ocasião, dezesseis agentes penitenciários foram feitos reféns. Durante confronto, o preso Marcos Martins de Carvalho, 27, acabou morto e mais cinco ficaram feridos. Cinco agentes de disciplina também foram feridos e apresentaram ferimentos feitos por armas brancas e escoriações pelo corpo.

#Colaborou a repórter Jéssica Vasconcelos do Jornal A Crítica