Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

‘Gringos de Manaus’ se preparam para os jogos da Copa do Mundo

Segundo o censo de 2010 do IBGE, Manaus tem hoje 4.357 moradores que nasceram em outros países do mundo. Italianos, americanos, ingleses e portugueses já estão afinados para curtir o Mundial na capital

O dirigente inglês Vincent Brown, que mora em Manaus, vai receber amigos europeus durante a Copa, mas promete dividir a torcida entre Inglaterra e Brasil

O dirigente inglês Vincent Brown, que mora em Manaus, vai receber amigos europeus durante a Copa, mas promete dividir a torcida entre Inglaterra e Brasil (Bruno Kelly)

Em ritmo de preparo para receber 116 mil turistas brasileiros e estrangeiros, segundo a Amazonastur, Manaus tem hoje 4.357 moradores que nasceram em outros países do mundo, segundo o censo de 2010 do IBGE. Parte deles com origem em Portugal, Itália, Inglaterra e EUA, que prepararam kits e espíritos para os dias em que suas seleções entrarão no campo da Arena da Amazônia.

Para os “gringos de Manaus”, as sentenças “italiano torce para Itália”, “português torce para Portugal”, “americano torce para os EUA” e “inglês torce para Inglaterra” não são tão exatas assim.

É o caso do pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), o norte-americano e doutor em Biologia Aquática Richard Vogt, que faz pesquisas nos rios Negro, Amazonas e Tapajós há 25 anos e há 14 anos mora em Manaus.


Richard se preparara com empolgação para o período da competição, com telão e cerveja gelada. O ambiente é preparado também para receber amigos e parentes dos EUA que virão a Manaus no período. Por nenhum segundo, Richard, hesita ao anunciar a sua torcida. “Vou torcer para o Brasil, claro. A seleção que tem maior chance de ganhar. Os EUA não tem time, a seleção americana não existe. Não tem carisma e nem tradição”, declarou.

O pesquisador revela que a empolgação para a Copa está mais no que ela vai representar de contato com amigos. Questionado sobre que nota, de 0 a 10, dá ao seu amor pelo futebol responde, com bom humor: “Menos dois. Opa! Não posso falar isso, estou no Brasil. Oito! Oito!”, respondeu às gargalhadas.

Richard afirmou que mora em Manaus por opção e não troca a cidade por qualquer outro lugar do Brasil e nem de seu próprio país. Durante a Copa, irá levar os visitantes para conhecer a razão do amor pelo Amazonas: os rios e as tartarugas da região.

Patrícios

O cônsul de Portugal José Azevedo, de 81 anos, e que mora há 79 anos em Manaus, terá um teste a mais para o coração de torcedor. Declaradamente fã de futebol, José Azevedo afirmou que até onde for possível irá torcer por duas seleções: a do Brasil e a de Portugal. O cônsul afirmou que irá ao jogo da seleção portuguesa na Arena da Amazônia, no dia 22 de junho.

Para os demais jogos, o Luso Clube, no Centro de Manaus, será o “QG” dos portugueses na cidade. “Já fizemos reuniões para definir detalhes do dia da Copa, desde enfeites com bandeiras de Portugal foram definidos”, declarou.

Segundo o cônsul, cerca de quatro mil portugueses e descendentes de portugueses vivem em Manaus.

José Azevedo afirmou que só viu movimentação parecida entre os portugueses residentes em Manaus há oito anos, numa outra competição da Copa do Mundo. Nesta Copa, os torcedores se reunirão para ver os jogos em um espaço do Hospital Beneficente Portuguesa.

Torcida italiana na ‘Casa do Mário’

O empresário italiano Mário Porcaro, 61, dono do restaurante “A Casa do Mário”, no Vieiralves, na Zona Centro-Sul, afirmou que espera um público de 50% de italianos residentes em Manaus nos dias de jogo da seleção da Itália na Copa do Mundo.

Com sotaque carregado, o italiano mora há 31 anos e mantém a tradição da Itália no costume e na linguagem, por causa do restaurante.

“Aqui no nosso restaurante, falamos o tempo todo em italiano”, declarou Mário, que já preparou uma decoração especial para a Copa e um telão para transmissão dos jogos da Itália.

Quando questionado se “A Casa do Mário” terá alguma bandeira do Brasil, o italiano rege rápido: “Claro. O Brasil é o nosso país do coração. Eu, sinceramente, serei feliz se qualquer uma das duas seleções (Itália ou Brasil) ganhar a competição. Vai ser difícil de novo, já sofri muito nas Copas quando as duas seleções se confrontaram”, declarou.

Torcida inglesa fora da Arena

O inglês Vincent Brown, 67 anos, dirigente de uma empresa no Polo Industrial de Manaus (PIM), é outro membro do time dos “torcedores gringos” residentes em Manaus que vai passar longe da Arena da Amazônia. “Prefiro torcer perto dos meus amigos, num bar aqui na Morada do Sol”, declarou Vincent à reportagem.

Vincent Brown afirmou que, durante a Copa, será anfitrião de outros estrangeiros, entre os quais, um casal formado por um inglês e uma italiana, que virá à cidade para assistir ao jogo Inglaterra e Itália, no dia 14 de junho.

“Vou recebê-los, indicar locais, hotéis, mas não vou com eles na Arena. Achei que criaram muita dificuldade para comprar ingresso. Depois vou ao estádio como? Enfrentar o trânsito? De ônibus? De táxi? De jeito nenhum! Não pode fazer nada lá dentro, me desinteressei . Muito sacrifício para um jogo de 90 minutos”, declarou.

Vincent Brown afirmou que vai comparecer ao bar do Morada do Sol com a bandeira da Inglaterra, mas revelou que a torcida pela seleção inglesa será muito mais para provocar os amigos brasileiros, pois, no fundo, ele guarda torcida pela seleção do Brasil.