Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Cerca 5 mil novos veículos por mês entram em circulação em Manaus, diz governo

Estatística foi trazida pela Secretaria de Planejamento de Estado (Seplan). Apesar do dado ser positivo do ponto de vista financeiro, a ‘explosão’ de automóveis agrava problemas de trânsito na cidade

Frota do Amazonas é uma das que mais cresce no Brasil

Frota do Amazonas é uma das que mais cresce no Brasil (Euzivaldo Queiroz)

Em meio à primeira reunião do Conselho de Desenvolvimento do Amazonas (Codam), realizada nesta quarta (26), um número chamou a atenção: no mês de dezembro de 2013, 7 mil novos veículos chegaram a Manaus – isto é, receberam emplacamento e foram postos em circulação.

O número confirma uma tendência do consumidor amazonense nos últimos anos: a compra desenfreada de automóveis. Segundo a Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan), em 2013 a média de carros novos em Manaus foi de 5 mil por mês – ou 60 mil ao longo do ano. O número é bastante positivo do ponto de vista financeiro, mas o questionamento do deputado José Ricardo Wendling, no Codam, foi outro: como organizar a malha urbana? Como evitar a formação de ‘gargalos’ no trânsito, e os consequentes problemas que eles acarretam – estresse, lentidão, perda de tempo?

Para o presidente do Departamento de Trânsito do Amazonas (Detran), Leonel Feitoza, essa é uma questão que exige uma solução rápida, mas as perspectivas não são muito animadoras. “A gente tem um histórico de falta de planejamento das vias, que costumam ser muito estreitas, mas também um problema mais complicado, cultural: a necessidade que as pessoas têm de só andar no próprio carro. Claro, tem a questão do calor, as dificuldades no transporte público, mas com essa cultura de cada pessoa, às vezes famílias inteiras, dirigirem o próprio carro, fica difícil termos um trânsito razoável no curto prazo”, afirma.

Detran-AM cogita rodízio de carros

Segundo Feitoza, uma das alternativas discutidas pelo órgão seria a adoção de um sentido único em determinado período do dia, para as grandes avenidas da cidade. “Essa proposta valeria, por exemplo, para a Avenida Torquato Tapajós ou a das Torres, que têm um trânsito muito intenso no sentido Centro, pela manhã, e quase nenhum no sentido Bairro, situação que se inverte à noite”, explica o dirigente. O sistema de rodízio, em que determinados tipos de veículos ficam proibidos de circular pela via durante algumas horas, também está sendo cogitado.

Recentemente, o jornal A CRÍTICA noticiou a melhoria no transporte público com o sistema BRS (Bus Rapid System). A adoção da faixa exclusiva para ônibus, segundo passageiros, reduziu o tempo gasto no trajeto, mas esbarrou em outro aspecto pouco nobre do trânsito de Manaus – a falta de respeito dos outros condutores, que insistem em invadir a faixa destinada aos veículos.

Efeito indesejado

Até representantes do segmento econômico, que elogiam os benefícios trazidos pela compra de carros, motos e caminhões à economia do Amazonas, ressaltam o prejuízo trazido à harmonia e civilidade no trânsito: “Isso mostra que não existe crise na economia do Estado, e sim uma tendência consistente de consumo e lucro para as empresas hospedadas aqui, mas, é evidente: as ruas estão cada vez mais cheias de carros. Isso é um efeito colateral indesejado”, afirma Airton Claudino, o titular da Seplan.

Já o secretário da Fazenda, Afonso Lobo, constrasta as duas realidades do situação: “Por um lado, a gente tem atividade econômica, arrecadação de impostos, geração de emprego e renda. Por outro, há esse problema da mobilidade urbana sendo agravado. É algo que a Prefeitura, principalmente, vai ter de solucionar pelos próximos anos”, ponderou.