Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Micro-ônibus executivo é assaltado na avenida Max Teixeira

Cerca de 15 passageiros foram feitos reféns e dois deles teriam sido feridos pela dupla, armada com dois facões

Micro-ônibus executivo é assaltado na avenida Max Teixeira

Micro-ônibus executivo é assaltado na avenida Max Teixeira (Arquivo / AC)

Dois rapazes não identificados realizaram um assalto dentro de um micro-ônibus executivo da linha 831, da empresa CMTA, na manhã desta quinta-feira (23), por volta das 10h, na avenida Max Teixeira, Parque das Nações, na Zona Norte de Manaus.

Cerca de 15 passageiros foram feitos reféns e dois deles teriam sido feridos pela dupla, que estava armada com dois facões. Celulares, pertences pessoais e dinheiro foram levados.

Ação durou 10 minutos

“Um chegou no cobrador e outro no motorista. Durou uns dez minutos. Tinham sete homens (passageiros) dentro e dois deles reagiram, tentando mobilizar os assaltantes”, contou a estudante Tamires Souza, 20, que teve o celular e R$ 60 roubados.

“Eu tinha acabado de ganhar (celular) de presente. É a primeira vez que venho pra cá (Cidade Nova). Eu moro no Parque Dez e não conheço nada aqui”, completou.

Momento do crime

Apesar da vítima afirmar ter visto dois passageiros serem golpeados pelos dois homens dentro do 831, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e hospitais das redondezas não confirmaram o atendimento de pessoas nas circunstâncias do crime.

A estudante informou que embarcou junto com a sobrinha, de 17 anos, no 831 em frente ao supermercado Carrefour no bairro de Flores com destino à Cidade Nova, e que na altura do supermercado Attack, na avenida Max Teixeira, Parque das Nações, os dois homens invadiram o coletivo.

“Uma moça entrou antes deles e ficou doida. Ela gritou ‘estão assaltando a gente’, fez um alvoroço. Essa mulher talvez fosse do bando deles”, disse Tamires.

No momento do anúncio do assalto, a estudante Tamires estava falando ao telefone com uma amiga.

“A gente estava em uma ligação. Eles só pegaram o celular dela e jogaram na bolsa. Não viram que estava em chamada. Aí eu continuei ouvindo a gritaria”, disse a amiga de Tamires Cristiane Izel, 32.

 “Eu ouvi a gritaria e estava no trabalho. Eu quis chamar a polícia, mas como se eu nem sabia onde o ônibus estava?”, disse Izel.

As vítimas estavam nas últimas fileiras

Conforme a vítima, os dois homens roubaram só passageiros que estavam sentados nas três ultimas fileiras. “Quem estava na frente se salvou. Aí teve uma hora que todo mundo desceu, e eu também. Só que o motorista seguiu. Achei que ele viesse para cá (delegacia) para fazer o B.O.”, questionou Tamires.

Ela desceu do ônibus próximo ao 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), ao lado do Terminal 3, para onde foi registrar a ocorrência.

Tamires disse que não sabe o que aconteceu com os assaltantes nem com os passageiros feridos. “Eles foram violentos. Como só tem uma porta de entrada e saída, foi terrível”, disse a vítima.

Câmeras do Ciops devem ajudar nas investigações

Conforme o delegado do 6º DIP, Ricardo Leite, o boletim de ocorrência feito por Tamires será transferido para o 12º DIP, delegacia responsável pela área onde ocorreu o assalto e onde deverá ser aberta investigação sobre o caso.

“A gente ligou para o celular roubado e um homem atendeu. Ele não quis falar o endereço e desligou na cara do delegado. O delegado acha que era o bandido (na ligação)”, contou Izel, que acompanhou a amiga no DIP.

Segundo Leite, imagens de câmeras de vigilância do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) podem ajudar na identificação dos assaltantes.