Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Moradores do bairro Alfredo Nascimento, em Manaus, sofrem com lixo e erosão de terreno

Na busca por uma solução, habitantes do local se juntaram em uma força tarefa para tentar resolver buraco em via pública e lixeira viciada. Eles cobram auxílio da Prefeitura de Manaus

Moradores fizeram uma cota e estão recuperando terreno que sofre erosão

Moradores fizeram uma cota e estão recuperando terreno que sofre erosão (J. Renato Queiroz)

Os moradores do bairro Alfredo Nascimento, na Zona Leste de Manaus, vêm reclamando do descaso com o bairro por parte dos órgãos competentes. Eles relataram diversos problemas, como uma erosão em parte do bairro há cerca de um ano e uma lixeira viciada que existe há mais de três anos e que eles próprios construíram. Segundo eles, todo o lixo é despejado na rua 23 e está entrando no terreno da igreja local.

Os moradores costumam jogar o lixo doméstico na esquina da rua, por não ter lixeira pública na região. Restos de comida atraem moscas e urubus para as residências de moradores, que têm de fechar as portas devido ao mau cheiro. “Temos coleta de lixo uma vez por semana, mas o lixo é muito e tem gente que não tem paciência de esperar o lixeiro passar e joga aí mesmo”, reclamou o morador Rogério Gomes. 

A lixeira que havia no local foi destruída por trabalhadores da prefeitura há cinco anos. “Nós não somos mal educados. Jogamos o lixo nesse local porque você não tem onde jogar. Onde estão as lixeiras da prefeitura?”, questionou a dona de casa Vanessa Figueiredo, 30. Ainda de acordo com eles, uma caixa para coletar o lixo foi construída pela comunidade do local, mas não foi suficiente para aguentar a demanda.


Os moradores também reclamam de um buraco que existia na esquina da igreja. Na última quarta-feira (6), depois de chegarem do trabalho, moradores resolveram tapar o buraco. Eles informaram que foram nos órgãos competentes, porém, nada foi feito. “Dez pais de família vieram para cá, juntamos dinheiro e compramos cimento, barro e seixo. A gente fica até meia noite trabalhando, tínhamos medo de o poste cair e causar uma tragédia”, revelou Luiza Alves de Souza.

O eletricista Joaquim Januário Bezerra, 48, está cada vez mais preocupado com a situação em que se encontra a comunidade. “As ruas estão todas com buracos, o lixo esta tomando conta delas, não temos segurança, assaltos acontecem aqui todos os dias e durante o dia, nossos filhos estão convivendo com as drogas e ninguém faz nada, não temos mais para quem reclamar. Agora somente o que nos resta é orar e pedir a Deus que nos socorra, porque os homens não resolvem nada, somente ele para resolver os nossos problemas”, lamentou Joaquim.

Estatística

A reportagem entrou em contato com a assessoria da Secretaria Municipal de Limpeza e Serviços Públicos (Semulsp), que informou que 300 lixeiras viciadas são identificadas por ano em Manaus. O órgão disse que disponibiliza o número 0800-092-6356 para a solicitação de serviços de remoção de lixeiras, denúncia de falhas na rota de coleta de lixo e também para a apresentação de sugestões.