Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Morre uma das grávidas baleadas no Alvorada 1, Zona Centro-Oeste

Adriely, que estava grávida há cerca de seis meses e foi atingida com ao menos quatro tiros, não conseguiu ter seu quadro de saúde estabilizado no hospital

Hospital 28 de Agosto

Adriely ficou na UTI do Hospital 28 de Agosto até seu óbito (Michael Dantas )

Adriely Pedrosa Tavares, 28, uma das grávidas baleadas na madrugada da última quarta-feira (3), após ser perseguida por um homem ainda não identificado quando saía de um bar na Zona Oeste de Manaus, não resistiu aos ferimentos e morreu na noite do mesmo dia. O crime aconteceu bairro Alvorada 1, Zona Centro-Oeste de Manaus.

A Polícia Civil contou uma nova versão dos fatos e desmentiu a versão que havia sido divulgado anteriormente pela Polícia Militar de que as mulheres eram “garotas de programa”. Segundo o boletim de ocorrência registrado pela Polícia Civil, Adriely estava com o marido no Empório Bar, localizado na avenida Desembargador João Machado, e, em dado momento da noite, um homem a apalpou e, por causa disso, ela lhe deu um tapa.

Quando saiu do local com o marido, por volta das 4h da manhã, ela foi perseguida por três homens em Hyundai prata, um deles, a Polícia Civil especula, sendo o homem que apalpou Adriely.

O homem, então, fez uma manobra agressiva e cortou o Corsa Wind, placas JYE-7352, em que a vítima estava e disparou vários tiros contra ela, dos quais quatro atingiram sua barriga e mataram o bebê que ela gerava.

Vítimas

Apesar de o hospital atestar que Rayane Priscila Mitoso, 22, se encontra internada lá, estava grávida e perdeu o bebê por conta de ter levado um tiro, até o presente momento, a Polícia Civil não confirma a presença dela no carro.

A versão da Polícia Militar, no entanto, dava conta que ela estava na companhia de Adriely, bem como que ambas foram encaminhadas ao Hospital Pronto Socorro 28 de Agosto.

Adriely estava grávida há cerca de seis meses e não conseguiu ter seu quadro de saúde estabilizado no hospital. Pela gravidade do seu caso, ela foi posta na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde permaneceu até seu óbito.

Rayane, que estava nos estágios iniciais de gestação, teve seu quadro estabilizado e, de acordo com o hospital, já está em um leito na enfermaria, onde passa bem.