Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Morre segundo operário em obras na Arena da Amazônia

O operário que trabalhava pela madrugada, realizando a cobertura do estádio, sofreu uma queda e foi encaminhado ao Hospital 28 de Agosto neste sábado (14), mas não resistiu

Arena da Amazônia

Arena da Amazônia (Fabrice Coffrini/AFP)

O cearense Marcleudo de Melo Ferreira, 22 anos, que trabalhava pela madrugada, realizando a cobertura da Arena da Amazônia morreu após sofrer uma queda de uma altura de aproximadamente 35 metros. Ele foi levado ao Hospital Pronto-Socorro 28 de Agosto ainda com vida, mas não resistiu e morreu na manhã deste sábado (14).  

Este é o segunda morte registrada de operário que trabalha nas obras da Arena da Amazônia, prevista para ser inaugurada em janeiro. O estádio vai abrigar os jogos da Copa do Mundo Fifa 2014.

De acordo com o presidente eleito do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sindacomec), Cícero Custódio, a Arena da Amazônia já registrou mais 90 acidentes durante sua evolução e a maioria dos casos ocorrem pela pressa em alcançar o prazo de entrega.

“Essa é a Arena mais cara do Brasil e os funcionários não são respeitados. Falta gente para trabalhar e os operários têm que se desdobrar e trabalhar na correria para conseguir entregar o estádio no prazo e essa pressa resulta em acidentes”, alertou.

Para Custódio o fato de ser uma construção federal deveria ter uma fiscalização mais intensa do Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Trabalho (MPT).

"O sindicato não permite que os operários da construção civil trabalhem à noite em construções de risco que envolvem altura. À noite a visibilidade é prejudicada, não é justo que coloquemos a vida de uma pessoa em perigo em troca de um prazo, como aconteceu mais uma vez nessa madrugada”, desabafou.

Atividades paralisadas

A Assessoria de Comunicação da construtora Andrade Gutierrez, responsável pelas obras na Arena, informou por meio de nota que uma investigação interna está sendo feita para apurar as causas do acidente e que as medidas legais estão sendo tomadas em conjunto com os órgãos competentes.

A construtora informou ainda que lamenta o ocorrido, está prestando total assistência à família do operário e que, em respeito à memória do mesmo, os trabalhos deste sábado foram interrompidos.

UGP-Copa quer relatório

O coordenador da UGP-Copa, Miguel Capobiango, informou que já solicitou da empresa um relatório sobre as causas do acidente e somente após a análise do documento ele poderá dizer que medidas serão tomadas.

Capobiango disse ainda que a decisão de paralisar totalmente as atividades neste sábado (14) foi acertada e que a retomada das atividades nos próximos dias - que poderá ser parcial ou total - fica a critério da construtora.

Segundo o coordenador, até segunda-feira (16) ele espera já estar com os laudos e relatórios em mãos para analisar as causas do acidente e as circunstâncias em que o jovem operário morreu.

Outra morte registrada

Em março deste ano o operário Raimundo Nonato Lima da Costa, 49, morreu enquanto trabalhava nas obras da Arena da Amazônia, localizada na Zona Centro-Oeste de Manaus.

De acordo com informações do Instituto Médico Legal (IML), o trabalhador teve morte instantânea causada por traumatismo craniano ao cair de uma altura de 5 metros.

No momento do acidente de trabalho, o homem se deslocava entre colunas de sustentação da obra que receberá jogos da Copa do Mundo 2014.