Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Movimento popular cobra novas moradias da Prefeitura

Durante o ato, grupo apresentou projetos de construção de habitações populares. Representantes foram recebidos por subprocurador Rafael Albuquerque e marcaram reunião com prefeito para assinar termo de compromisso 

Manifestantes ocuparam frente da sede da Prefeitura, na Zona Oeste de Manaus

Manifestantes ocuparam frente da sede da Prefeitura, na Zona Oeste de Manaus (Divulgação/Semcom)

Aproximadamente 150 integrantes do movimento participaram de um ato, na manhã desta quarta-feira (26) em frente à sede da Prefeitura de Manaus, na Compensa, Zona Oeste. De acordo com Cristina Teles, líder do grupo, os integrantes buscam uma audiência com o prefeito Arthur Virgílio Neto, que se encontra em Brasília, para que possam apresentar seus projetos de construção de moradias populares e firmem um termo de compromisso com a prefeitura.

Lideranças de movimentos sociais ligados à moradia populares vão ser recebidas no mês de março pelo executivo municipal quando devem apresentar suas propostas de solução para o déficit de moradia em Manaus. A data ainda será definida, mas o encontro foi pré-agendado nesta quarta entre os representantes do movimento e o subprocurador geral do município, Rafael Albuquerque.

“Gostaríamos que o prefeito nos recebesse, pois sabemos que ele é acessível às causas sociais e queremos que ele assine esse termo de compromisso que deve beneficiar 2.300 famílias. Estamos aqui fazendo nosso papel, com ordem, sem bagunça e sem vandalismo, pois respeitamos a figura do prefeito”, disse Cristina.

Por determinação do prefeito, os representantes dos movimentos foram recebidos pelo subprocurador geral do município Rafael Albuquerque, que conceituou a reunião como um encontro positivo.

“Recebemos seis integrantes de movimentos pela moradia e, na verdade, suas reinvindicações já estão no município e necessitam de um acompanhamento maior, que será feito em conjunto pelas secretarias municipais de Governo, por meio da Subsecretaria de Habitação, e pela Procuradoria Geral do Município”, disse Albuquerque.

 Definição

Ao fim da reunião ficou definido que no mês de março haverá um novo encontro, para que os movimentos sociais apresentem suas demandas aos secretários e ao prefeito Arthur Virgílio Neto.

O resultado agradou aos movimentos que viram a conversa como mais um passo rumo à solução no problema das moradias sociais. 

“Foi positivo e só é possível avançarmos se houver parceria entre o poder público e os movimentos. Acreditamos que assim que o prefeito retorne a Manaus irá marcar a audiência conosco e assinar o termo de compromisso necessário para atender as famílias que precisam de moradia digna”, finalizou Cristina.

*Com informações da Semcom