Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Mulher é encontrada seminua e morta dentro de casa em construção na Zona Norte

Fabrício Batista de Oliveira, 29, foi preso suspeito de ser autor do crime. Os dois eram conhecidos do bairro e costumavam beber juntos

Casa em construção onde a vítima foi assassinada

Casa em construção onde a vítima foi assassinada (Antônio Menezes)

A babá Viviane Silva Rocha, 20, morreu após ser atingida por várias pancadas na cabeça durante a madrugada de ontem. O caso aconteceu na Rua Dom Bosco, bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus. A mulher foi encontrada seminua e dentro de uma casa em construção.

Fabrício Batista de Oliveira, 29, foi preso suspeito de ser autor do crime. Os dois eram conhecidos do bairro e costumavam beber na companhia de outras pessoas. A babá saiu de casa na noite de quarta-feira (25) e, na madrugada, entrou no terreno acompanhada de Fabrício.

Moradores que não quiseram se identificar disseram que viram o momento em que a dupla entrou espontaneamente no local possivelmente bêbada. Segundo alguns vizinhos, outros homens foram vistos entrando no terreno horas depois. Um dos homens trajando camisa listrada foi visto fugindo do local. Ninguém ouviu gritos por socorro na região.

Por volta de 3h30, Fabrício acionou a polícia informando que tinha se deparado com Viviane morta. À polícia, ele disse que dois homens e uma mulher desconhecidos chegaram e mataram a babá com pauladas. Essa foi uma das versões que Fabrício deu para o crime. Ele aparentava estar bastante nervoso e foi apontado como principal suspeito do homicídio por ter sido o único encontrado no local da morte. Ele apresentava ranhuras no tórax, braços e rosto.

Uma das suspeitas da polícia é que ele tenha assassinado a babá após luta corporal. Outra suspeita é que a mulher tenha sido estuprada. Em estado de choque, Fabrício conversou com os policiais militares da 13ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) que faziam patrulhamento de rotina no bairro, conforme informações repassadas pelo 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na Zona Norte de Manaus.

Na delegacia, ele negou ser autor do crime e manteve a versão dada à Polícia Militar. A dona de casa Ivone Rocha, 24, irmã da vítima, disse não saber o que pensar da situação. "O rapaz deu a versão dele, mas o que sei é que ficamos sem minha irmã. Ela ficava bebendo com ele e uns colegas, mas jamais imaginei que isso foi acontecer", falou.

A equipe da 6ª Cicom informou que acionou uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que, chegando ao local, constatou o óbito. "Encontramos o suspeito próximo do local e fizemos algumas perguntas. Pela situação do corpo, houve muita briga no cenário do crime", disse o sargento Auzimar. 

Viviane foi velada na Igreja Cristã Esperança, na Rua Santiago, próximo à rua do crime. À equipe do 6º DIP, onde foi registrado o caso, Fabrício negou ter mantido relações sexuais com a vítima. Ele foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) para realização de exame de corpo de delito que deve atestar se houve estupro na noite do crime.

A previsão da Polícia Civil é que o laudo seja expedido em até 30 dias. Após os procedimentos, ele foi levado, como suspeito do homicídio, à Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus onde deve ficar à disposição da Justiça do Amazonas.