Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Mulher é sequestrada, torturada e mantida em cárcere privado por dívida de ex-companheiro

Ela conseguiu escapar e a polícia prendeu a quadrilha que exigia o paradeiro de André Lima que teria fugido com quase R$20 mil do bando

Mulher foi sequestrada e torturada por traficantes de droga da rua Ipiranga, no bairro da Raiz, Zona Sul

Mulher foi sequestrada e torturada por traficantes de droga da rua Ipiranga, no bairro da Raiz, Zona Sul (Luiz Vasconcelos)

Débora Teixeira Gaia, 21, foi sequestrada e torturada por traficantes de droga da rua Ipiranga, no bairro da Raiz, Zona Sul. Eles exigiam que ela informasse o paradeiro do ex-companheiro, o suposto traficante André Lima dos Santos, 23, que teria roubado uma remessa de droga do grupo avaliada em mais de R$ 20 mil.

Durante o tempo que ficou no cativeiro ela teve queimaduras pelo corpo e os cabelos cortados. Débora conseguiu fugir do cativeiro e cinco dos sequestradores foram presos pela polícia.

O caso foi registrado no 7º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no São Lázaro, Zona Sul, onde o assaltante Senio Henrique da Silva, 21, Roney Marinho Machado e as mulheres Valesca Araújo Sodré, 19, Daniele Moraes Honorato, 28, e Leidiane de Souza Dutra, 22 foram autuados em flagrante pelos crimes de sequestro, cárcere privado, tortura, tráfico de droga e associação para o tráfico.

Familiares da vítima que estavam na delegacia disseram que ela é usuária de droga e que mora com amigas.

Por volta de 0h30 desta quarta-feira (5) os criminosos ligaram para a família informando que tinham sequestrado Débora e exigiam como resgate o endereço do local onde André estava escondido. Eles colocaram a vítima para falar, que estava chorando muito disse que tinha sido torturada e ameaçada de morte pelos sequestradores.

Vítima seria esquartejada

Os criminosos disseram que iam esperar até as 5h desta quarta-feira e, caso o endereço de André não fosse passado para eles, Débora seria morta.

A vítima contou que os criminosos compraram sacos plásticos de cor preta e uma mala. “Eles disseram que iam me matar, esquartejar e colocar o meu corpo na mala e depois jogar na ilha do Marapatá”, contou  Débora.

Antes do amanhecer, ela conseguiu fugir do cativeiro pulando a janela da casa que era vigiada por Valesca, Daniele e Leidiane. Débora contou que estava com os pés e as mãos amarradas com cordas e pediu para ir ao banheiro. As mulheres afrouxaram os nós para que ela pudesse andar.

“Eu aproveitei o momento que elas cochilavam para me soltar e fugir”, relatou Débora.

Início das buscas

A mulher foi para a casa de familiares que a levaram-na ao 7º DIP onde registrou ocorrência e levou os policiais ao local do cativeiro. No local foram presas Valesca Daniele e Leidiane. Por volta das 10h, policiais prenderam Senio e Roney que dormiam em uma casa localizada na rua Diagonal, no bairro Betânia, Zona Sul.

Segundo a delegada Eline Alencar, Sênio estava em liberdade condicional respondendo a dois processos por roubo. Débora disse que conviveu com o traficante André durante três anos, tiveram um casal de filhos, mas que estão separados há mais de um ano e que André fugiu depois de ter roubado a droga do traficante rival. Ela disse não saber o paradeiro dele.