Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Muro que bloqueava entrada da boate Remulo's é derrubado

A Semc informou que não foi comunicada oficialmente sobre a decisão de demolição mas que a liminar se cumpre. O órgão também afirmou que o local permanecerá fechado

Segundo proprietário, documentos necessários para liberação foram concedidos pela Justiça

Segundo proprietário, documentos necessários para liberação foram concedidos pela Justiça (Antônio Lima)

A casa noturna Remulo’s Club, localizada na rua Lobo D’Almada, Centro, teve o muro que impedia a entrada derrubado na tarde desta segunda-feira (9). O estabelecimento havia sido fechado na última quinta-feira (5) durante a Operação “Centro Seguro 4”, a qual constatou o vencimento do alvará de funcionamento do local além do desvio de função por utilizar uma autorização para funcionar como hotel, sendo que a casa oferecia serviços de um motel.

De acordo com o proprietário do Remulo’s Club que preferiu não se identificar, o local deverá ser reaberto porém não há previsão para serem retomados os trabalhos na casa noturna. Ainda segundo ele, um advogado, também não localizado, está cuidando do caso.

Em nota, a Semc informou que tomou conhecimento da liminar que autoriza a demolição do muro por meio de cópia do documento da decisão judicial enviada pelo delegado do 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Jorge Pontes. A decisão foi expedida no último domingo (8) pelo juiz de direito, plantonista do 1º Grau, Abraham Peixoto Campos Filho. Segundo o órgão, a Semc ainda não foi oficialmente notificada da decisão, o que deve ocorrer nos próximos dias, mas ressalta que decisão judicial se cumpre.

Funcionamento clandestino

A Operação "Centro Seguro 4" foi realizada pelo Governo do Estado do Amazonas, por meio da Polícia Civil e com parceria de órgãos da Prefeitura Municipal de Manaus (PMM). Na ocasião, a polícia encontrou drogas em alguns quartos do estabelecimento, que serviam também como moradia garotas de programa estrangeiras. Segundo o Secretaria do Centro, a decisão de erguer o muro foi um ato preventivo considerando que não existem elementos físicos, como portas ou grades, que viabilizem a manutenção da interdição do prédio.

“Além das precárias condições sanitárias com eminente risco a saúde humana, o estabelecimento foi fechado pelo evidente descumprimento à legislação municipal que proíbe a existência de motéis no Centro. Tendo autorização para ser uma pensão, o estabelecimento desrespeitou o poder público municipal e a sociedade. O estabelecimento foi fechado como parte das ações para reordenar e requalificar o Centro da cidade”, informou o comunicado.