Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Polícia prende assassinos de universitário encontrado em bueiro, após dois meses

Vítima foi morta por estrangulamento e em seguida a pauladas; prisão dos suspeitos aconteceu na manhã desta quarta (29). Segundo a polícia, existe a possibilidade de outras dez vítimas terem sido mortas pelos irmãos

Ricardo e Jucenildo são apontados pela polícia como os assassinos de Steve Hosth

Jucenildo (à esquerda) e Ricardo (à direita) são apontados pela polícia como os assassinos de Steve Hosth (Divulgação)

“Maníacos”. Foi com essa palavra que o delegado titular da Delegacia Especializada Em Roubos e Furtos (DERF), Orlando Amaral, definiu Jucenildo Soares Damascena, 18, e Ricardo Damascena Cunha, 19, irmãos suspeitos de terem executado Steve Hosth da Costa Barbosa, 32, no dia 29 de novembro de 2013 e jogado o corpo em bueiro localizado na rua Bernardo Cabral, bairro Tancredo Neves, Zona Leste de Manaus. A dupla também confessou ter executado ainda três pessoas, porém a polícia suspeita que a lista possa chegar a até dez mortes, todos homossexuais.  

Após exatos dois meses de investigação, a Derf chegou à identidade dos irmãos e conseguiu efetuar as duas prisões na manhã desta quarta-feira (29). Entre as 10h e 10h40, Jucenildo e Ricardo foram localizados no bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus, o primeiro no conjunto Viver Melhor, já o segundo na comunidade Parque dos Nobres. Os indivíduos foram abordados em via pública e não ofereceram resistência, conforme informações da Delegacia.

Segundo a polícia, no dia do crime Ricardo trabalhava como garçom em um estabelecimento comercial no Centro de Manaus. Na ocasião, Steve e ele teriam conversado e saído em seguida para a casa de Jucenildo, no conjunto Viver Melhor. Lá, todos estariam ingerindo bebida alcoólica e um deles teria tido relações sexuais com a vítima, momento que Ricardo aproveitou para enforcar Steve até deixá-lo inconsciente.

Em seguida, os irmãos conduziram o corpo até o carro da vítima e o levado até o bueiro localizado no bairro Tancredo Neves. Após perceberem que Steve ainda estava vivo, os dois suspeitos finalizaram o crime executando o estudante a pauladas. Durante coletiva, Ricardo mostrou atitude homofóbica. “Matei ele porque era ‘veado’ e não pagou o que devia. Ele me prometeu dinheiro, disse que se eu largasse o emprego me daria muito. Sou pistoleiro, pago pra matar”, informou.

A hipótese de acerto de contas foi descartada pela polícia, visto que com os suspeitos foram encontrados os tênis, o celular e a máquina filmadora da vítima, além do notebook de outra. O delegado titular da Derf, Orlando Amaral, também reiterou que os suspeitos eram “maníacos”, pois tinham o mesmo modo operandis para todos os crimes. “Eles se relacionavam com as vítimas e após praticar o roubo, matavam para não serem descobertos”.

Com os suspeitos, foram encontrados objetos do universitário como o tênis que usava no dia da morte, o celular, a máquina filmadora e o notebook de outra vítima. Todos os itens foram reconhecidos pelas famílias. De acordo com a Derf, os suspeitos confessaram terem matado outros três homossexuais, porém a polícia acredita que o número possa chegar até dez.

Após ser indagado se estava arrependido pelo crime, Ricardo afirmou que sim. “É difícil sentir remorso depois de tudo que fiz, mas eu estou arrependido e peço desculpas à família dele (Steve) e a de todos os outros”, revelou.

Outras vítimas

Entre os nomes divulgados pela Derf estão: Henrique Júnior Rabelo Maio, 31, morto no dia 18 de novembro de 2013 em um hotel na rua Floriano Peixoto, Centro; Carlos Macambira da Silva, 41, morto no dia 11 de dezembro de 2013 em uma área próxima ao sítio da Engeco, bairro Santa Etelvina, Zona Norte; e Jucinei José Araújo Barbosa, 46, morto no dia 16 de dezembro de 2013 no bairro Nova Cidade, Zona Norte, que teve o notebook localizado pela polícia.

Segundo o delegado Amaral, os irmãos conheciam os homossexuais em bares e hotéis e sempre cometiam latrocínio, roubo seguido de morte. “Os dois agiam juntos. As investigações irão continuar para identificar o restante das vítimas”, informou. Jucenildo e Ricardo serão recolhidos para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa pelo homicídio de Steve e indiciados pelos demais casos.