Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

PMs suspeitos de estupro podem ser expulsos da coorporação

Os policiais militares do Ronda no Bairro se apresentam na Corregedoria, após serem identificados por meio das câmeras internas da viatura que registraram o estupro a mulher

Caso foi registrado no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na Zona Sul

Caso foi registrado no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na Zona Sul (Márcio Melo)

Os policiais suspeitos de estuprar uma mulher dentro da uma viatura do Programa Ronda no Bairro no último sábado (21) se apresentaram na Corregedoria-Geral da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) na tarde desta terça-feira (24).

William Santos Reis e Elton Aparício de Oliveira se dirigiram à Corregedoria-Geral por volta das 13h, onde foram ouvidos. Eles tiveram as armas apreendidas e foram afastados das ruas. Durante o curso das investigações, eles cumprirão serviços administrativos, a disposição do Comando Geral da Polícia Militar.

A Corregedoria-Geral já abriu uma Sindicância Disciplinar Militar para apurar administrativamente a denúncia de estupro. Caso o envolvimento dos policiais seja comprovado, eles devem ser expulsos da corporação, já que ambos possuem menos de 10 anos de serviço.  

Também foi aberto um Inquérito Penal Militar que já tramita na Auditoria Militar da Justiça Estadual, que apura a denúncia do crime de estupro.

O caso

Dois soldados da Polícia Militar são considerados procurados pela Corregedoria da Secretaria de Segurança Pública (SSP), desde o último sábado (21), por suspeita de estuprar uma mulher dentro da viatura do Programa Ronda no Bairro, no São Francisco, na Zona Sul.

A vítima estava dentro de um veículo com o namorado, no último sábado. O casal foi abordado pelos policiais que mandaram que eles saíssem do carro. Um dos PMs mandou o namorado dela embora e pediu que a mulher sem nenhuma acusação, entrasse na viatura, Os PMs teriam obrigado a vítima a manter relações sexuais dentro da viatura da polícia.

Após o crime, eles deixaram a mulher em outra rua no mesmo bairro. Ela foi encaminhada para o Instituto Medico Legal (IML), na Zona Norte, onde foi confirmado o abuso sexual por meio de exame de corpo de delito e conjunção carnal.

De acordo com o comandante-geral da PM, coronel Almir David, o crime é grave e está sendo apurado com rigor pela corporação. Ele foi enfático ao que dizer que os PMs serão expulsos tão logo seja oficializada a comprovação do crime na SSP.

David ressaltou que os policias negaram o crime, mas entraram em contradição ao serem questionados sobre o que ocorreu na ocasião e porque colocaram a mulher na viatura se não houve ocorrência. Para David, eles agiram de forma incorreta desde o começo da abordagem, uma vez que sequer relataram uma possível ocorrência ou encaminharam a mulher ao DIP.