Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

‘De pai para filho’: aficionado por pipas, motorista ensina filha a arte de confeccionar brinquedo

Paixão vem sendo transmitida à filha de 7 anos. “Ela olha e brinca com a mesma vontade que eu tinha quando criança”, revela o motorista

Fabian e Kayla confeccionam papagaios em "quarto secreto" e levam para a rua

Fabian e Kayla confeccionam papagaios em "quarto secreto" e levam para a rua (J. Renato Queiroz)

A paixão por papagaios de papel vem de menino. Uma brincadeira de criança que, com o passar dos anos, o motorista Fabian Lima Santos, 33, criado no bairro da Glória, Zona Oeste de Manaus, não esqueceu, e que ajuda a família a ter uma renda extra. Mais que isso, essa paixão ele está deixando de herança para a filha, Kayla Bianca de Lima Santos, de 7 anos, que aprendeu com o pai a ser uma aficionada por papagaios.

“Sou louco por papagaios. Quando era criança, adorava olhar para o céu e ver o movimento deles. Cresci correndo atrás de papagaios e hoje Kayla está vivendo isso, ela olha e brinca com a mesma vontade que eu tinha quando criança”, comentou.

O motorista lembra que chega a ficar um dia inteiro no campo do Sulamerica, brincando com a filha e com os papagaios. “A gente nem vê o tempo passar, fomos logo pela manhã e quando vimos era noite”, disse.

Fabian também comentou que, antes, os moradores da Glória não tinham espaço seguro para soltar papagaios. “Brincávamos na frente da Colina ( estádio Ismael Benigno), no barranco, e era perigoso, passavam muitos carros. Ou então íamos para campo do Sulamerica mesmo. Hoje, com a inauguração do Prosamim, ficou perfeito”, disse.

Campeonato

No fim de semana passada, Fabian organizou o primeiro Festival de Papagaios do bairro. Segundo ele, foram mais de 300 pessoas empinando papagaios, entre gente da comunidade e de outros bairros que participaram.

“Fizemos uma feijoada e apareceu gente com papagaios de todo lugar, todos com modelos e tamanhos diferentes, e Kayla estava no meio. Ela acorda todo fim de semana e vê logo se está fazendo sol, para ter certeza que vai dar para empinar um papagaio”, disse Fabian, sorrindo.