Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Passarelas de Manaus não oferecem segurança a pedestres

Rachaduras, ferrugem, sujeira, grades e corrimões quebrados são alguns dos problemas estruturais comuns às passarelas de Manaus

Passarela em frente ao Carrefour de Flores é a única que está sendo recuperada em Manaus

Passarela em frente ao Carrefour de Flores é a única que está sendo recuperada em Manaus (Euzivaldo Queiroz)

Boa parte das passarelas de pedestres que existem em Manaus precisa de reparos. Algumas estão com rachaduras em toda a estrutura de concreto, outras estão com as grades e corrimão quebrados e, ainda, tomadas por lixo. Os problemas, que não têm sido observados pelo poder público, colocam em risco a população que utiliza as estruturas diariamente.

As exceções são as estruturas que foram construídas por centros comerciais, por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta com o município.

As únicas passarelas cobertas construídas pela prefeitura ou Estado estão com a cobertura totalmente deteriorada há, pelo menos, dois anos. A ferrugem toma conta das estruturas metálicas, que são corroídas pela falta de pintura. “Isso pode ser melhorado com soluções simples. Basta uma lata de tinta que custa R$ 30 para evitar que o ferro da passarela seja corroído. São coisas simples, mas parece que nossos governantes não querem ver isso. Eles preferem que o patrimônio se acabe para pensar em fazer outro”, criticou o agente de portaria Williams Silva Alves, 59. 

A passarela instalada na avenida Torquato Tapajós, próximo à Secretaria de Segurança Pública (SSP), era uma das poucas com cobertura na cidade. Da consequência pela falta de manutenção, onde havia telhas de acrílico, restou apenas a estrutura metálica.  A passarela também está cheia de lixo e com o corrimão quebrado.

Na passarela localizada na avenida Mário Ypiranga Monteiro (antiga Recife), em frente ao  Terminal Rodoviário Huascar Angelim (Rodoviária), no bairro de Flores, na Zona Centro-Sul, a situação se repete. O piso superior da passarela está cheio de rachaduras e com as lâmpadas queimadas.

A pensionista Maria Helena de Souza, 61, passou pelo local na manhã de ontem e classificou o abandono como falta de respeito com a população. “A gente passa por aqui para não ser atropelado pelos carros. A passarela é para oferecer segurança para o povo. Se ela não recebe manutenção. vai quebrar um dia e o povo vai ser prejudicado”, disse.

Obra invisível
A única passarela que está sendo recuperada em Manaus é que fica localizada em frente ao supermercado Carrefour, bairro Flores, na Zona Centro-Sul. A prefeitura está fazendo o reparo. De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), não há nenhum trabalho na passarela porque os módulos de concreto armado e armações de ferro estão sendo feitos em outro local. A nova estrutura deve ser instalada em 20 dias. A troca estrutura deve ser feita durante a noite, para não atrapalhar o trânsito.

A passarela cruza as avenidas Djalma Batista e Mario Ypiranga, duas das mais movimentadas da cidade, e só foi interdita no último mês, depois de várias denúncias da população por meio das redes sociais.