Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Pesquisa revela que polícias Civil e Militar do Amazonas são as mais desacreditadas do País

Os dados são do Ministério da Justiça, além da confiança, outros aspectos do trabalho da Polícia Militar foram consultados

O programa Ronda no Bairro completou um ano de atividade com bons índices na diminuição da criminalidade em Manaus

Pesquisa aponta desconfiança da população em relação as polícias Civil e Militar (Luiz Vasconcelos)

Uma pesquisa publicada ontem no site do Ministério da Justiça revelou que as polícias Civil e Militar do Amazonas, aparecem nas últimas colocações entre as corporações  do País quando a pergunta é: Você confia muito nas polícias? 

Os números revelados pela Pesquisa Nacional de Vitimização mostram que apenas 7,4% da população do Estado considera a Polícia Civil “muito confiável”. Na capital, esse número cai para 5,9%.

Ainda segundo a pesquisa, apenas 8,4% da população considera a Polícia Militar muito confiável, e esse número cai para 6,7% na capital, Manaus, o que coloca a PM-AM nas últimas posições nestes rankings.

O estudo foi realizado pelo Datafolha e acompanhado pelo Centro de Estudos da Criminalidade e Segurança Pública (Crisp) da Universidade Federal de Minas Gerais.  Foram realizados mais de 82 mil questionários em todos os estados e capitais.

O destaque das polícias militares dos Estados do Sul, entre as mais confiáveis, contrasta com a situação captada no Norte, onde os dois Estados de maior população têm as corporações com os menores níveis de confiabilidade.

No Amazonas, 8,4% consideram a Polícia Militar muito confiável, e no Pará, 8,9%. São as únicas unidades da Federação com essa taxa de avaliação abaixo de 10%.

Além da confiança, outros aspectos do trabalho da Polícia Militar foram consultados, e os resultados revelam alguns aspectos negativos da imagem da corporação junto à população. 

Em uma bateria de frases com as quais os entrevistados podiam concordar ou discordar, por exemplo, 54,4% concordaram que “os policiais militares fazem ‘vista grossa’ à desonestidade de seus colegas”.

A violência física por parte de policiais militares registrou maior incidência no Amapá (6,5%), no Acre (5,1%), no Amazonas (5,1%), no Pará (5%) e no Sergipe (5%). Apenas o Tocantins teve menos de 2% da população agredida fisicamente pela Polícia (1,9%).

A presença da Polícia Civil é menor do que da Polícia Militar no cotidiano da população. Dois em cada três (66%) brasileiros adultos não veem policiais civis na vizinhança ou proximidades de onde moram.

De forma geral, a taxa de vitimização pela Polícia Civil é baixa: apenas 1,1% sofreram violência física de policiais civis, 2,1% declaram ter sofrido agressão verbal ou insulto, e 0,8% sofreu extorsão ou teve que pagar propina para policiais civis.

No Amazonas, a taxa dos que sofreram violência física vai a 2,3%, e fica em 1,7% no Acre.