Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Polícia do AM captura quarto suspeito de envolvimento na morte do delegado Oscar Cardoso

Preso por mandado de prisão, “Marcos Pará” assumiu participação e disse ter sido ele quem retirou da frente do tiroteio o neto do delegado Oscar. Entretanto, “Pará” afirmou não ter atirado nenhuma vez contra a vítima

preso marcos para

A prisão de “Pará” foi realizada em Manaus pela DRCO e DEHS (Divulgação)

Marcos Roberto Miranda da Silva, 27, o “Marcos Pará”, foi preso durante cumprimento de mandado de prisão na tarde de quarta-feira (28), pela Polícia Civil do Amazonas, como suspeito de ser um dos envolvidos no assassinato do delegado Oscar Cardoso, morto após ser alvejado 20 vezes em 9 de fevereiro deste ano, em frente à própria casa, no bairro São Francisco, Zona Sul da capital.

“Marcos Pará” foi preso em uma residência no beco e rua Projetada, bairro Redenção, na Zona Centro-Oeste da cidade, onde a polícia ainda encontrou 1,5 quilo de pasta base de cocaína, motivo do qual ainda foi autuado por tráfico de drogas. Conforme o delegado Paulo Martins, titular da Delegacia de Homicídios (DEHS), “Pará” é um dos executores de Oscar Cardoso.

Em depoimento, “Marcos Pará” confessou que estava com o grupo de pessoas que assassinou o delegado, mas disse que não atirou contra a vítima porque a arma de fogo dele havia falhado. Marcos também declarou ter sido ele quem retirou da frente do tiroteio o neto do delegado, que estava sentado no colo de Oscar Cardoso no momento do crime.

Quarto já preso

De acordo com o delegado Martins, “Pará” é a quarta pessoa presa como suspeito de participação direta no assassinato. No total, a polícia considerou oito envolvidos diretamente no crime. Os quatros já presos são “Pará”; Messias Maia Sodré, 30, preso em São Paulo; Ronairon Moreira Negreiros, preso em Roraima; e Mário Jorge Nobre Albuquerque, o “Mario Tabatinga”, preso na Venezuela.

Dos outros quatro envolvidos que não foram presos, dois já estão mortos e dois foragidos. Os foragidos são João Pinto Carioca, o “João Branco”, apontado como mentor do homicídio de Oscar, e outro homem que não teve o nome revelado. Os dois já mortos são Adriano Corrêa, o “Maresia”, e Marcos Sampaio de Oliveira, o “Marcos Eletricista”, que foram mortos em “queima de arquivo” supostamente a mando de “João Branco”.

Além dos oito com participação direta no crime, a polícia já prendeu outros envolvidos indiretamente, como Arlindo Jorge Teles Macedo, o “Macêdo”, que teria alugado o Siena branco OAB-7782 utilizado durante o assassinato; Diego Bruno de Souza Moldes, 26; e a sobrinha de Oscar Cardoso, Karine Cristine Pereira do Nascimento, 20, presa no Pará.

A prisão de “Marcos Pará” foi realizada por investigadores da Delegacia Especializada em Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e da DEHS.

*Com informações da repórter Jaíze Alencar