Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Polícia do AM recebe treinamento para atender a todos os grupos sociais sem distinções

Policiais civis e militares do estado terão procedimentos padronizados para atuar em ocorrências envolvendo religiões, etnias, grupo GLBTTs e outros segmentos da sociedade

Reunião na SSP definiu os procedimentos que passarão a ser adotados pelos policiais no atendimento à população

Reunião na SSP definiu os procedimentos que passarão a ser adotados pelos policiais no atendimento à população (Divulgação)

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) irá padronizar os procedimentos adotados pelos mais de 12 mil policiais Civis e Militares do Estado para o atendimento de ocorrências envolvendo religiões, etnias, grupo de Gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais (GLBTT) e outros segmentos da sociedade. A ação visa melhorar o atendimento prestado ao cidadão.

A padronização foi tema de reunião realizada na sede da SSP na tarde desta terça-feira (22) e será feita pela Comissão integrada dos Procedimentos Operacionais das Polícias Civil e Militar do Amazonas (Cispo) instituída dentro da política de governo que criou o Programa Ronda no Bairro.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Paulo Roberto Vital, a SSP, por meio da Secretaria-Executiva Adjunta do Ronda do Bairro (Searb), irá lançar em breve o Procedimento Operacional Padrão (POP), que orienta a atuação policial nas suas diversas modalidades, desde a abordagem inicial até a conclusão do procedimento em um dos 30 Distritos Integrados de Polícia (DIP) da capital. “Os policiais, desde que passam pela formação na academia, já são orientados para atuar nas diversas situações. A padronização visa melhorar o atendimento que estamos prestando ao cidadão, em todos os segmentos da sociedade”, disse Vital.

Ele destaca que o POP será como um guia de atuação para os policiais. “Cada policial irá receber um exemplar do POP e também receber orientação e qualificação nos casos especiais. Como forma de aproximar o cidadão da polícia, filosofia do Ronda no Bairro, nós queremos melhorar esse atendimento que é prestado ao cidadão”, disse.

Ele destaca que a secretaria já possui um grupo de trabalho permanente para atuar contra o preconceito por raça, cor, idade, crença, etnia e orientação sexual, criado por meio do Decreto n.º 33.662, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE). “O grupo acompanha os casos registrados  na capital e no interior do Estado e atende com mais rapidez as vítimas de atos discriminatórios”, destacou.

De acordo com o presidente da Cispo, delegado Luciano Tavares, os novos procedimentos serão incluídos no POP. “São situações que precisam de atendimento diferenciado. Nos casos envolvendo igrejas, por exemplo, o policial precisa abordar de maneira adequada uma autoridade religiosa dentro do templo, seja ela um pastor ou um padre. Ou mesmo atender uma ocorrência envolvendo religiões de Matriz Africana”.

A Cispo, instituída pelo Decreto nº 34.186 de 14 de Novembro de 2013, no âmbito do Programa Ronda no Bairro, foi criada para orientar os polícias civis e militares como agir durante os diversos tipos de ocorrências que acontecem diariamente nas ruas das cidades do estado do Amazonas. 

* Com informações da assessoria de comunicação do programa Ronda no Bairro.