Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Oficial de Justiça que mandou matar homem para vingar traição é preso em Manaus

Conhecido como “JJ”, o mandante do crime teria desembolsado cerca de R$ 3 mil para pagar o serviço de “matadores de aluguel”, que resultou no assassinato de Pedro Paulo Oliveira Rocha, relacionamento amoroso de sua esposa

foto legenda

"JJ" foi preso em cumprimento de mandado de prisão na avenida André Araújo, Aleixo, em Manaus (Divulgação)

O oficial de Justiça João José Pinheiro de Jesus, também conhecido como “JJ”, foi preso na tarde desta quarta-feira (30) em Manaus, como suspeito de ter ordenado a morte do auxiliar de advocacia Pedro Paulo Oliveira Rocha, 26, no dia 10 de junho deste ano. O motivo do crime seria o envolvimento amoroso entre Pedro Paulo e a esposa de “JJ”.

Policiais civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) investigavam há meses o assassinato de Pedro Paulo, já com informações que indicavam “JJ” como mandante do crime. Segundo a polícia, o oficial de Justiça teria desembolsado cerca de R$ 3 mil para pagar o serviço de “matadores de aluguel”.

“JJ” foi preso ainda nesta tarde na avenida André Araújo, bairro Aleixo, na Zona Centro-Sul da cidade, durante cumprimento de mandado de prisão. Após ser capturado, ele foi levado para a sede da DEHS para prestar depoimento. A polícia ainda confirmará se a motivação para o homicídio foi vingança de traição.

A polícia também prendeu, terça-feira (29), um dos assassinos contratados por “JJ” para matarem Pedro Paulo. Karder Júnior Serrão dos Santos, 25, foi preso também pela DEHS e teria feito várias vítimas na capital amazonense. Agora, a polícia procura pelos outros dois assassinos de Pedro Paulo, um identificado como Arleson Felipe da Costa Moreira.

Vingança de traição

A vítima, Pedro Paulo, foi morta com três tiros na manhã do dia 10 de junho deste ano, em frente à sede do Tribunal Regional do Trabalho, na rua Ferreira Pena, Centro, Zona Sul, onde trabalhava. Karder e Arleson chegaram ao local em uma motocicleta Honda de cor vermelha e placas NOK-7891, e executaram Pedro Paulo à luz do dia.