Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Pressionada por ramo hoteleiro, Amazonastur modifica e relança projeto 'Hospedagem Alternativa'

Órgão estadual anuncia programa que visa cadastrar imóveis próprios para aluguel na época da Copa do Mundo em Manaus. Programa encerra no dia 30 junho

Ocupação média nos hotéis no primeiro semestre foi de 52% das unidades

Ocupação média nos hotéis no primeiro semestre de 2013 foi de apenas 52% das unidades (Clovis Miranda)

Em resposta às pressões da rede hoteleira de Manaus, a Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur) em conjunto com o Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado do Amazonas (Sindimóveis) relança o projeto intitulado "Hospedagem Alternativa", originalmente previsto para início em março de 2013, mas desta vez com algumas modificações.

O programa objetiva o cadastro de imóveis para a recepção de turistas que não consigam se acomodar nos hotéis da capital. De acordo com o edital do projeto, qualquer “pessoa física ou jurídica que possua residência, com documentos legais que comprovem a posse da mesma”, pode se cadastrar no projeto.

As mudanças no edital contemplam o envolvimento do Sindimóveis como entidade parceira e o reforço do caráter complementar do projeto, que afirma que os imóveis cadastrados só serão ocupados caso haja indisponibilidade de acomodações tradicionais.

“Caso 'a rede hoteleira' não consiga suportar a grande demanda de turistas nas datas dos jogos, o Governo do Amazonas já tem essa solução”, disse Oreni Braga, presidente da Amazonastur.

A maior reivindicação do ramo hoteleiro era a garantia de que o projeto fosse temporário. Na época do primeiro lançamento do projeto, em 2013, o presidente Associação Brasileira de Indústrias de Hotelaria no Amazonas, Roberto Bulbol, manifestou as temeridades do setor.

“Estamos participando desse projeto e temos a preocupação de que isso seja permanente, porque as empresas hoteleiras geram emprego e pagam impostos. Temos cuidado com projeto para ter começo e fim, ter normas para não atrapalhar o nosso trabalho”, ressaltou Bulbol.

A Amazonastur confirmou que foram essas demandas que levaram ao adiamento do projeto, que precisou ser reajustado. “Os hoteleiros pediram o adiamento, mais especificamente até o Sorteio dos Jogos da Copa do Mundo, para que pudéssemos refazer o edital, e nesse tempo o Ministério do Turismo deu seu aval ao projeto”, explicou a Amazonastur, por meio de sua assessoria de imprensa.

O cadastramento dos imóveis pode ser feito pelo site do Sindimóveis ou por meio do banner do projeto no site do Governo. “Além disso, os interessados podem solicitar o edital por pelo e-mail acomodocaocopa2014@gmail.com ou pegar na própria sede da Amazonastur, das 8h às 17h, no Departamento de Registros e Fiscalização”, comentou Braga.