Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Secretário de Cultura de Maués e assessor pedem afastamento após denúncia

Benedito Teixeira e Márcio Marque afirmam não ter qualquer envolvimento com a suposta cobrança. De acordo com o prefeito, não haverá nomeação de um novo Secretário até que seja concluído o resultado da sindicância

Mensagens no WhatsApp (plataforma de mensagens instantâneas) onde secretário e assessor cobram depósitos

Mensagens no WhatsApp (plataforma de mensagens instantâneas) onde secretário e assessor cobram depósitos (Montagem sobre fotos)

Após o Jornal A Crítica divulgar uma suposta cobrança de propina por parte da Secretaria de Cultura de Maués, o secretário Benedito Teixeira e o assessor Márcio Marques pediram afastamento na manhã desta quarta-feira (22) dos cargos que ocupam no governo. O caso teve visibilidade depois de o empresário de pirotecnia, Eduardo Freitas, expor imagens de conversas em uma rede social nas quais o secretário de Cultura exige o pagamento de R$ 10 mil para que a empresa do mesmo ganhasse um contrato.

Em nota divulgada à imprensa, o assessor informou que “devido a sindicância que foi instaurada para apurar denúncias e com respeito ao povo de Maués e a Comissão responsável pela apuração, coloca o seu cargo à disposição do prefeito Pe. Carlos Góes”. Márcio afirma ainda que adotou a medida por ter consciência do seu caráter e para que análise possa ocorrer sem qualquer interferência de sua parte.

Também por meio de nota, o secretário Benedito Teixeira limitou-se a dizer que sua relação com a comunidade mauesense sempre foi transparente e que acredita na Justiça. Os pedidos de afastamento dos dois funcionários foram protocolados na Secretaria de Administração e Planejamento.

O prefeito pe. Carlos Góes (PT) manifestou-se dizendo que foi uma atitude nobre do Secretário e do assessor em pedir afastamento. “Os dois se colocaram à disposição e eu exonerei”, informa. Carlos Góes reconheceu o trabalho do Secretário e do assessor que fizeram grandes eventos em Maués, mas que não se justificam as denuncias. “Nada impede que seja feita a sindicância, não estou condenando ninguém, eles terão liberdade para se defender das acusações”.

O caso será passado para a Comissão de Sindicância e Ministério Público, a qual deverá apresentar os primeiros resultados no prazo de dez dias. De acordo com o prefeito, não haverá nomeação de um novo Secretário até que seja concluído o resultado da sindicância.