Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Suspeito de executar quatro pessoas é preso na Zona Leste

Após dois meses de investigações a polícia prendeu Márcio Adrian por tráfico de drogas e homicídios

Suspeito de executar quatro pessoas é preso na Zona Leste

Suspeito de executar quatro pessoas é preso na Zona Leste (Divulgação / Polícia Civil)

Após dois meses de investigações da Polícia Civil, Márcio Adrian de Assis Farias, 23, foi preso por volta das 10h, desta quinta-feira (20), na rua Laranja Amarela, antiga Campo Grande, beco Campo Grande, bairro, Grande Vitória, Zona Leste de Manaus.

No momento da prisão os investigadores do 4º Distrito Integrado de Polícia (DIP), encontraram com Adrian, 100g de pasta base de cocaína, uma balança de precisão, dois celulares, uma faca e uma quantia de R$ 200.

Márcio Adrian, é suspeito de ter matado pelo menos quatro pessoas, entre as vítimas está um ex-policial militar, executado no dia seis de fevereiro - há pouco mais de um mês - com seis tiros na cabeça, sendo um que estraçalhou o olho do ex-policial, que trajava uma camisa de mototaxista, no dia do crime.

O crime ocorreu na rua da casa de Márcio Adrian, na época o moradores temerosos, informaram à polícia que não conheciam a vítima, mas que um homem identificado apenas como “Adrian”, seria um dos principais suspeitos, pois sempre cometia homicídios no bairro.

No site de consulta de processos do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) Adrian, estava em liberdade provisória desde setembro de 2013, e respondia por tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo.


Além disso, a assessoria de comunicação da Polícia Civil informou que Adrian vai ser encaminhado a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), onde será investigada a participação dele em pelo menos outros quatro homicídios.

No 4º DIP, ele foi autuado em flagrante por tráfico de drogas, e após os procedimentos normais encaminhado a DEHS e em seguida a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa. As imagens de Adrian não puderam ser feitas porque a advogada dele pediu direito imagem.