Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Manaustrans vai expandir áreas de restrições para circulação de veículos pesados na capital

Após graves acidentes, Instituto Municipal de Trânsito vai restringir os horários de tráfego de veículos como caminhões e carretas em vias como rua Recife, rua Paraíba, Boulevard e V8. Detran-AM e Manaustrans realizam tratativas para iniciar uma fiscalização conjunta

Assim como na avenida Constantino Nery, onde as multas estão valendo, na Djalma Batista haverá período de orientação

Avenida Djalma Batista foi a primeira avenida a ter restrição depois do trágico acidente que vitimou 15 pessoas (Luiz Vasconcelos)

Os constantes acidentes fatais ocorridos em 2014 e os quatro tombos de carreta nas últimas duas semanas causaram grandes preocupações aos condutores.

Para evitar este tipo de acidente, o diretor presidente do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), Paulo Henrique Martins informou que aumentará as áreas de restrição para melhorar a fiscalização ainda no segundo semestre de 2014.

“Em setembro implementaremos na avenida Mário Ypiranga Monteiro (rua Recife) e na avenida Humberto Calderaro (rua Paraíba). Mas está no nosso planejamento avançarmos para a Efigênio Salles, Rodrigo Otávio, Boulevard Alvaro Maia e Avenida Brasil. É um passo a passo para que as empresas que entregam carga se adequem e para quem recebe não tenha problema. Fizemos na Constantino, passou a Copa e agora vamos tocar o restante do projeto”, informou Paulo.

MULTAS

A partir desta quinta-feira (14), o Manaustrans intensifica a fiscalização nas restrições (no Centro, Constantino Nery e Djalma Batista) para controlar o fluxo de veículos acima de 8 toneladas.

Pela manhã, de 6h as 9h, e a tarde, de 17h as 20h, é permitido apenas veículos pequenos e vans. Os pesados, apenas fora do horário de pico. Quem não respeitar a restrição passa a receber multa e estará ainda cometendo uma infração média com a perda de quatro pontos na carteira. O valor a infração custa R$ 85,13.

AÇÃO CONJUNTA

O diretor presidente do Departamento de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Leonel Feitoza e o diretor presidente do Manaustrans, Paulo Henrique Martins, articulam uma 'ação conjunta' dos órgãos fiscalizadores de veículos e fiscalizador do trânsito, respectivamente.

Com a parceria entre Detran e Manaustrans, poderemos fazer uma fiscalização mais abrangente. Um cuida dos veículos, documentos e estado do carro. Outro organiza o trânsito e dá apoio nas operações. O trânsito passará a ficar mais seguro”, encerrou Feitoza.