Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Veterinários fundam associação em Manaus e pretendem ampliar serviços a pequenos animais

A fundação foi definida em reunião no início desta semana e pretende representar os profissionais da área medicinal. Agora, projeto de lei quer formailizar chipagem de animais domésticos

A cerimônia contou com as presenças do Presidente nacional da ANCLIVEPA, Alexandre Schmaedecke, que destacou as atividades de formação realizadas virtualmente

A cerimônia contou com as presenças do Presidente nacional da ANCLIVEPA, Alexandre Schmaedecke, que destacou as atividades de formação realizadas virtualmente (Divulgação)

Nesta segunda-feira (24), médicos veterinários se reuniram na sede do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Amazonas (CRMV/AM) para criar a fundação da Associação Nacional dos Clínicos Veterinários de Pequenos Animais do Amazonas (ANCLIVEPA/AM). A reunião também contemplou a eleição de Manoel Del Carmen e Estevão Loureiro para presidente e vice-presidente de recém-criada instituição.

A cerimônia contou com as presenças do Presidente nacional da ANCLIVEPA, Alexandre Schmaedecke, que destacou as atividades de formação realizadas virtualmente pela instituição, e do Presidente do CRMV/AM, Paulo Alex Carneiro, que louvou a criação de novas entidades representativas dos profissionais da Veterinária.

"É importante que haja outras entidades que venham a somar com o Conselho na defesa dos interesses dos Veterinários, e o CRMV/AM está de portas abertas para apoiar a ANCLIVEPA", ressaltou Paulo Alex.

Chipagem de animais domésticos

Com a criação da associação, novas vozes debaterão o Projeto de Emenda 058/2014 à Lei 1.590 de 26/09/2011, protocolado pelo vereador Everaldo Farias (PV), presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

O projeto pretende obrigar a chipagem de animais domésticos através do Registro Geral do Animal (RGA) com data do registro, nome, sexo, raça, cor, idade real ou presumida do animal, bem como o nome, endereço, número de registro geral e cadastro do proprietário.

A inserção do microchip tanto por profissional credenciado pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária ou órgão que o suceda quanto pelo Município através do Centro de Controle de Zoonoses. O parlamentar explica que a medida objetiva a fácil localização dos animais perdidos. “Quando um animal chipado desaparece, o procedimento de busca é muito mais rápido”, completou Farias.

*Com informações das assessorias de imprensa