Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Erosões ameaçam trecho da 2ª etapa da Ponta Negra

Prefeitura de Manaus promete conter a situação após fim do período de chuvas. Enquanto isso, crateras colocam freqüentadores do complexo turístico em risco

Trecho da orla da segunda etapa da Ponta Negra está sendo "engolido" por erosões. No local não há sinalização de perigo ou isolamento

Trecho da orla da segunda etapa da Ponta Negra está sendo "engolido" por erosões. No local não há sinalização de perigo ou isolamento (Márcio Silva)

O avanço de erosões na orla da segunda etapa do Complexo Turístico da Ponta Negra, na Zona Oeste, preocupa quem costuma frequentar o local para fazer caminhadas ou apenas passear e que teme que um acidente grave possa ocorrer.  Quem passa pelo local diariamente alerta que, a cada semana, as erosões estão maiores. A prefeitura informou que já está elaborando um projeto para conter as erosões, que deve ser concluído no próximo verão.

“Venho caminhar todos os dias aqui nessa na orla e conheço cada centímetro dela. Nos últimos dias notei que está caindo um novo pedaço de barranco todos os dias”, relatou o aposentado Roberto Bonfim, 60, frequentador assíduo do local.

A  professora de educação física  Ana Luzia Nascimento de Oliveira, 33, disse temer pela segurança dos pedestres, especialmente durante a noite, uma vez que não há nenhuma placa alertando sobre o perigo de desmoronamento ou mesmo isolando o local.

“Eu costumo frequentar a Ponta Negra à noite e já estacionei meu carro aqui bem próximo ao barranco,  mas não tinha visto a extensão da erosão. Isso aqui está um perigo, especialmente à noite. Tem gente que chega bem próximo dessas erosões, correndo risco, pois não tem ninguém impedindo as pessoas de se aproximarem e a área nem está cercada”, reclamou.

O industriário Diego Santiago Gomes, 30, cobrou mais cuidado com a manutenção diária da Ponta Negra. “Moro no Tarumã e a praia da Ponta Negra é meu caminho todos os dias. Ela está muito bonita, mas tem que ser cuidada, tem que haver consertos, não apenas varrer, tem que manter a segurança para quem frequenta. Essa erosão só vão resolver quando uma pessoa se acidentar ou quando um  carro for engolido” criticou.

Inauguração

A segunda etapa do Complexo Turístico da Ponta Negra foi entregue pela prefeitura no dia 22 de dezembro. Segundo o Instituto Municipal de Planejamento Urbano  (Implurb) a segunda etapa foi entregue sem faixa de areia para a praia por conta da vazante do Rio Negro, que não permitiu a finalização do aterramento do local, que ainda está em andamento.

Nos últimos anos, após a conclusão da reforma e o lançamento do projeto Faixa Liberada, a Ponta Negra voltou a ser um dos cartões postais mais procurados pelos moradores da capital, que nos finais de semana e, agora também às quartas, lotam as areias e o calçadão para praticar esportes ou passear com a família.

Projeto em andamento

A Secretaria Municipal de Infraestrutura ( Seminf) informou que há um projeto em andamento que tem o objetivo de conter definitivamente os trechos de erosões. O projeto é conduzido por engenheiros especializados em geotécnica. Ainda segundo a Seminf, atualmente estão sendo executados trabalhos emergenciais e, no próximo verão, serão concluídos os trabalhos definitivos.

Esse projeto de contenção com os taludes não fazem parte do contrato de reforma da Ponta Negra, firmado com a empresa Mosaico Engenharia.  A secretaria garantiu que as áreas já liberadas ao público não oferecem risco.

Em números

- R$ 57 milhões foi quanto custou a revitalização da segunda etapa do Complexo Turístico da Ponta Negra, onde estão localizados os trechos com erosões não isolados pela prefeitura. A reforma da primeira etapa foi orçada em R$ 29 milhões.

- 5 meses é o tempo que a segunda etapa da Ponta Negra está aberta ao público. Essa fase foi entregue à população no dia 22 de dezembro. Desde então, voltou a ser um dos principais cartões postais da cidade.