Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Segunda etapa do 'Viver Melhor' será inaugurada nesta sexta-feira (14)

Cerimônia contará com a presença do governador do Estado, Omar Aziz, e da presidente Dilma Rousseff. Construção teve investimentos de R$ 40 milhões do Governo do Amazonas e R$ 272 milhões do Federal

Somando as 5.384 moradias com a primeira etapa entregue em dezembro, número de unidades habitacionais chega a 8.895

Somando as 5.384 moradias com a primeira etapa entregue em dezembro, número de unidades habitacionais chega a 8.895 (Winnetou Almeida/AC)

O Governador Omar Aziz e a presidente Dilma Rousseff inauguram nesta sexta-feira (14) às 9h30, a segunda etapa do Residencial ‘Viver Melhor’ do programa Minha Casa Minha Vida, localizado no bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus, destinada a famílias com renda de até R$ 1.600. São 5.384 moradias, entre casas e apartamentos, que somados a outras 3.511 da primeira etapa, entregues em dezembro de 2012, completam 8.895 unidades habitacionais.

O residencial foi construído por meio da parceria entre os governos Federal e Estadual, sendo R$ 469.025.257,00 financiados pela Caixa e R$ 81.785.198,20 de contrapartida pelo Governo. Coube ao Governo do Estado investir em vias de acesso ao local e nos aparelhos comunitários, a exemplo de uma escola-padrão, já concluída, e um Centro de Educação de Tempo Integral (Ceti), em construção, bem como a doação do terreno.

O residencial é composto de 7.806 apartamentos e 1.087 casas, tendo 5% destinados a pessoas com deficiência. Cada bloco de apartamentos possui 16 unidades compostas de dois quartos, sala, cozinha e banheiro.

"É um grande prazer ver tantas famílias concretizando, juntas, o sonho da casa própria. Educação e um lar digno são os maiores bens que os pais desejam para os filhos e por isso estão entre as prioridades do nosso governo", disse Omar Aziz, ao ressaltar que, a parceria com a presidenta Dilma Rousseff proporcionou à sua gestão estabelecer um recorde no setor de habitação: são quase 23 mil unidades, entre casas e apartamentos entregues e em construção.

Investimento

A segunda etapa do residencial Viver Melhor teve investimentos de R$ 272.640.000,00 do Governo Federal e R$ 40.755.198,28 do Governo do Amazonas. De acordo com o diretor-presidente da Suhab, o engenheiro Sidney de Paula, o Residencial Viver Melhor é o maior conjunto do programa Minha Casa Minha Vida, exatamente pela sua grandiosidade.

"Desde o terreno, passando pela quantidade de casas, além de ser a primeira vez que entregamos casas adaptadas. Todos os conjuntos habitacionais da Suhab destinam 3% das unidades a pessoas com deficiência, mas, agora, elas estão adaptadas para atender às necessidades deles", ressalta o superintendente.

Processo e critérios da seleção

As famílias beneficiadas foram selecionadas por meio do banco de dados da Suhab através dos critérios estabelecidos pelo Ministério das Cidades: famílias chefiadas por mulheres; e famílias residentes em áreas de risco; e ainda os critérios em âmbito estadual: famílias com filhos com residência fixa em Manaus há, no mínimo, três anos; famílias que residem na condição de cedidos ou alugados, que não foram contempladas com programas habitacionais de esfera federal, estadual, municipal, bem como assentamentos; famílias com membros que possuem doenças crônicas degenerativas. Além desses critérios, a renda familiar não pode ultrapassar R$ 1.600.

A seleção para chegar às famílias beneficiadas teve inicio em agosto de 2011. De acordo com gerente de serviço social da Suhab, Cheila Bortoleto, o primeiro passo foi separar as famílias no banco de dados que tinham perfil do programa nacional.

"Temos mais de 20 mil pessoas inscritas no banco de dados da Suhab, mas nem todos atendem ao perfil do programa, por isso, tivemos que analisar um a um para então repassar para Caixa Econômica as famílias que atendiam aos critérios estabelecidos pelo Ministério das Cidades", explica Cheila.

Além dos critérios estabelecidos, a Caixa também avaliou as questões financeiras das famílias. Os imóveis foram financiados por um período de 10 anos, com prestações que não podem ultrapassar 5% da renda familiar.

"O diferencial do programa Minha Casa Minha Vida é exatamente o financiamento que é muito flexível. A família que ganha um salário mínimo, por exemplo, vai pagar em torno de R$ 30,00 por mês, um valor muito abaixo do mercado imobiliário. No final, ala vai pagar 30 mil por um imóvel que vale odobro", afirma o superintendente regional da Caixa, Carlos Alberto Bonin.

*Com informações da Agecom