Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Dia internacional da mulher: reflexões e lembranças

Série de eventos convida a população a refletir sobre a desigualdade de gêneros e as lutas empreendidas no passado

Homenagens às mulheres começaram ontem com uma atividade que reuniu as ‘damas’ na rotatória da Feira do Produtor, no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste. Elas gostaram a aprovaram a festança

Homenagens às mulheres começaram ontem com uma atividade que reuniu as ‘damas’ na rotatória da Feira do Produtor, no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste. Elas gostaram a aprovaram a festança (Lucas Silva)

Dezenas de eventos, alguns simultâneos, serão realizados em Manaus hoje em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. A programação vai de palestras a apresentações teatrais, além de atos públicos reivindicando melhor tratamento, fim da desigualdade e a maior participação da mulher em decisões sociais.

Apesar da programação ser em sua maioria festiva, entidades e personalidade locais que atuam na defesa dos direitos da mulher fazem um convite a reflexão relembrando o motivo real do evento que deu origem ao Dia da Mulher, quando aproximadamente 130 delas morreram carbonizadas, num ato desumano, dentro de uma fábrica, no dia 8 de março de 1857, em Nova Iorque, no Estados Unidos.

Elas eram operarias que fizeram greve reivindicando melhores condições de trabalho e foram trancadas no prédio que foi incendiado. A luta delas se tornou símbolo mundial de mudança para promover o fim da desigualdade, mas que só em 1910 teve o 8 de março oficializado pela Organização das Nações Unidas como Dia Internacional da Mulher.

Segundo a presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim), Isis Tavares, relembrar a história serve para evidenciar que ainda há muito que ser feito para superar desigualdades e violência invisíveis cometidas contra a mulher, na sociedade atual. Ela destacou que desde a conquista do direito ao voto feminino no Brasil, muitos avanços foram conquistados, mas o preconceito e o tratamento diferenciado colocando a mulher como uma figura inferior ao homem ou como objeto ainda são presentes em várias esferas da sociedade.

Ela ressaltou que tais ideias devem ficar no passado, uma vez que, a importância da mulher moderna nas mais variadas profissões no mercado de trabalho e na sociedade é incontestável. O que falta, segundo Isis, é uma maior participação das mulheres no espaços de poder e decisão, seja na política ou no judiciário, para mudar as desigualdades silenciosas que restam.

“A população do Brasil tem em sua maioria mulheres, pessoas que votam, mas temos uma invisibilidade eleitoral. A própria mídia muitas vezes ajuda a colocar a figura da mulher de forma pejorativa, sem roupa, questionando a capacidade de decisão da mulher e de fazer leis”, disse.


Atividades variadas em Manaus

Ação social: A partir das 9h, a Polícia Civil fará uma programação em homenagem às mulheres com a prestação de serviços, tais como, emissão de carteira de trabalho e de identidade, além de corte de cabelo e aulas de maquiagem. A ação será realizada na 4ª Seccional Oeste, localizada na travessa Hermes Fontes, Compensa 3, em parceria com a Secretaria de Estado de Trabalho (Setrab) e Instituto de Identificação. O evento vai até as 14h.

A 4ª Corrida da Mulher será realizada a partir da 17h, na Ponta Negra, na Zona Oeste. são esperadas três mil participantes. A corrida tem percurso de 5 quilômetros. A largada será às 17h, mas durante toda a tarde haverá programa especial para homenagear as mulheres no complexo da Ponta Negra. Serão oferecidos serviços gratuitos de beleza, aula de body jump, demonstrações de pole dance, barracas de massagem corporal, oficina de Slackline, barracas com frutas e pontos de hidratação.

Representantes de entidade que atuam na defesa dos direitos da mulher farão um abraço simbólico na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), a partir das 9h. A ação é promovida pelo Conselho Estadual dos Direitos da Mulher para pedir o fim da violência e maior participação da figura feminina no poder público.