Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ano letivo começa com 27 mil alunos ‘de fora’ da sala de aula

Déficit de 192 de creches públicas deixa crianças na lista de espera para conseguirem uma vaga só em 2015



Creche Municipal Professora Virgínia Marília Mello Araújo

Creche Municipal Professora Virgínia Marília Mello Araújo (Luiz Vasconcelos)

Com cinco creches próprias e três conveniadas para atender a demanda de crianças de zero a 3 anos, Manaus tem um déficit de 192 creches e mais de 27 mil crianças à espera de uma vaga para o ano letivo de 2014, que está prestes a começar.

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) reconhece que o número de creches públicas é insuficiente e aponta que, para atender a necessidade da capital, é preciso construir, pelo menos, mais 192 unidades com 140 vagas, cada.

O problema da falta de creches é antigo. Na gestão passada, o ex-prefeito Amazonino Mendes prometeu a construção de mil unidades, que resolveriam o problema, mas entregou apenas uma. A atual gestão prometeu, até o fim do mandato, a construção de 110 creches.

Enquanto a prefeitura não apresenta uma solução para o problema, pais e mães continuam enfrentando filas para conseguir vagas no período de matrícula e, quando não conseguem, - a maioria dos casos -, precisam “apertar” o orçamento familiar e recorrer às escolas particulares.

Descaso

A comerciante Laura Pinheiro, 35, que tem uma filha de dois anos, foi uma das que tentou conseguir uma vaga na creche, sem sucesso. Como a quantidade de crianças à procura de matrícula era maior que a capacidade da creche, a filha dela foi incluída em uma lista de espera por uma vaga, mas somente para o ano letivo de 2015. Isso porque até a lista de espera está “superlotada”.  “Como não consegui agora, pago para uma pessoa cuidar dela em casa enquanto trabalho. Já vai boa parte do salário”, disse a comerciante.

Enquanto espera por uma vaga em uma creche pública, Laura, que é moradora da rua Bom Jesus, bairro Zumbi, Zona Leste,  vê, todos os dias quando sai de casa para trabalhar, a construção de uma creche, que foi paralisada e não tem previsão para ser finalizada.  Para ela, passar pela obra, paralisada desde as últimas eleições, e saber que as crianças do bairro poderiam estudar ali, para que pais trabalhassem tranquilos, é uma decepção.

Abandonada

De acordo com a Semed, a empresa Planen Construtora Indústria e Comércio Ltda, responsável pela execução da obra da creche na rua Bom Jesus, na Zona Leste, desistiu  da obra e, apesar da tentativa de negociação para que a empresa retomasse os trabalhos, a construção foi abandonada. 

Segundo a Semed, uma nova licitação já está em andamento para que as obras sejam retomadas o mais breve possível, mas a secretaria não divulgou prazos.

A paralisação da obra, que deveria ter sido entregue no dia 3 de maio de 2013, facilitou a invasão de famílias, que construíram 30 casas, num terreno particular, ao lado da creche. A Semed informou que o terreno que pertence à prefeitura, onde está a obra da creche, não foi invadido e que, portanto, esse não foi o motivo da paralisação.